domingo, 1 de fevereiro de 2009

Doce mistério








Evitei falar sobre o que acontece
Evitei até pensar
Evitei



Quem já não usou , umas linhas singelas
Para mandar aquela mensagem
Aquela que não temos coragem
ou sabedoria para expor

Vou me aprofundar em mim mesmo
Evitando o inevitável
Viajar no infinito da minha mente

Li num blog de uma amiga,
"Caçadora de almas e sonhos"

Me vejo em situação semelhante
A intensidade em que vivo
Não dá chance ao mistério

Falta-me a sutileza do doce mistério
Escancaro vontades e sentimentos

O tempo urge
O tempo que me dou
Não o tempo que Deus me dá

A delicadeza da descoberta,
Perdeu-se
Aprofundo-me no seu ser
Não peço licença, invado

Invadida que tu és
Rejeita
Não consegues entender
A força contínua que me move


Não vamos falar em pureza
E sim em entrega
Entrega total, incontida
Sem nãos ou porém
Explorar o ser mutuamente
Cada dia seria uma explosão de vida
Esgotando nossas forças

E ao final,
Deitar-mos lado a lado
Como dois indivíduos ,
Olhando-se
Observando a suavidade da entrega total.