domingo, 1 de fevereiro de 2009

Equação de uma vida



Complacência comigo mesmo
Acho que é isso

Desejar é demais
Não desejar é de menos
Conta que não fecha

Aprendi a somar, cada vez mais
Multiplicar cada vez mais
E quando , não posso
A equação não fecha
Um zero , igualdade incorrecta

Quando os acertos passam a ser errados
Uma inversão de sinal, em algum momento
Pôs tudo a perder
Contas erradas

Não consigo mais achar o equilíbrio da equação
Me faltam conhecimento
Logarítimos repetitivos
Números primos que não se enquadram
Sobram rabiscos
A conta não fecha

Resposta única
Não é permitido aproximação
Apenas uma resposta

Equação de um lado um ser , sem saber se-lo
de outro lado dessa igualdade absurda
Seres que sabem se-los

Já tentei de todas as formas, todas abstracções
Inúmeras trocas de posições
E o resultado sempre é zero

Equação de uma vida
Zero não pode ser a resposta
Nada na vida é absoluto