sábado, 7 de fevereiro de 2009

Uma história


Sempre pensei em escrever uma história, que fosse comovente, prendesse o leitor até às últimas linhas, mera pretensão, eu sei, as tentativas sempre foram mal concebidas, baseadas em personagens que não eram de fato o que eu imaginava que fosse, enfim, tentativas nada mais do que isso.
Também sempre quis começar a historia com "Era uma vez", tentador o enredo que inicia com essa frase, sempre tem final feliz, "Viveram felizes para sempre", seria de tal forma tranquilo, com momentos de tristeza, mas sempre a certeza do final feliz.

Meus personagens escolheriam o figurino do filme "grease", as loiras com seus jeans super apertados, os rapazes sempre lindos e felizes, nada com trabalho, apenas a escola secundária, brincadeiras sem fim, namoros, beijos, cinema e a preocupação da faculdade no ano seguinte.

Historinha bonitinha, engraçadinha, e a realidade dos fatos são outras, o tempo passou , não existe mais a escola, as meninas são senhoras, os meninos se tornaram homens barrigudos e calvos, com filhos e netos.

No entanto Marcos nega o tempo, hoje não mais marido e um pai ausente ou distante, trabalha , tem relativo sucesso, gosto apurado no que se refere a leituras, exigente consigo em quase tudo, a perfeição o persegue.

Entrou para o clube dos descasados, pessoas que procuram ou almejam encontrar o par perfeito, não errar, não há segunda chance, Marcos assim percebe as coisas.

Marcos deveria almejar o par perfeito, ou já o teve e perdeu, nem ele sabe, agora apenas tem consciência de viver sensações .

Esse enredo teria continuidade de frustrações com flash de alegrias.
Marcos jamais trará a vivência passada ao presente, a oportunidade se perdeu no tempo, e os anos se acumularam, Marcos não se importa, mas observa sua vida com vazios, pedaços que faltam.

Em dado momento, ao deparar com pessoas que possam preencher tais vazios, a esperança se torna angustiante, não depende mais de Marcos, e sim do por vir, Marcos não tem controle, vive cada dia aguardando que possa te-la.

Poucas armas Marcos dispõe, as usa como um loco afoito a tentar atingir seu objetivo, tiros dados em alvos errados, semanas se passam, e numa tarde tranquila de sábado, a confirmação do inevitável !
A tranquilidade de Marcos não era esperada, ela observou a resignação ao destino por ele já imaginado.

Marcos não está só, tempo para reflexões .

Marcos de coração puro, deita-se fecha os olhos num sono tranquilizante e apaguazidor, lembranças aconchegantes de um fim de semana ensolarado.

Marcos ainda se sente feliz !!!!!!!!