domingo, 29 de março de 2009

Opiniões dos meus eus




Quantas lamurias
Blá blá blá blá
Que vida é essa
Faça que nem a musica
"O meu amor me fez feliz, me deu um chute na bunda, agora posso sair na sexta e voltar na segunda"

À amigo, você sempre acha tudo fácil
Não sabe nada das responsabilidades , do dia a dia
Contas a pagar, investimentos à controlar
Tem que se ocupar com coisas que dêem resultados
Ocupe seu tempo, não fique a pensar em besteiras

Eu já acho que deveria ser tudo mais light
Ir à praia, curtir a areia
A agua gelada à bater nos pés
Curtir a brisa
Lembrar da existência de algo maior
Perder o olhar no horizonte azul
E deixar a vida levar

Eu até concordo com a praia, uma cerveja
Aliás algumas cervejas
As gatas na praia
Olha-las é muito mais interessante que o horizonte
E a noite , whisky para não deixar baixar o teor alcoólico

Todos errados como sempre
A contemplação do infinito
é a saída
Nada o atingirá
Meditarás sobre tudo
E viverás em paz

Quanta asneira
Amigo já lhe disse um grande amor
Uma paixão
Fará tu sobreviver a esse vendaval
Não conseguirá pensar em mais nada

Viajar é a solução
Novos lugares
Novos amigos
Você merece esse tempo para ti
Encontrarás o que está a procurar
Nessa imensidão de mundo

Cuidado com o fácil
Pare tudo
Analise e trace objectivos
Metas são necessárias
Não esqueça de planilhar e acompanhar
Evite desvios que possam colocar em risco os objectivos

Pegue todas, não se importe
Aproveite antes que elas aproveitem de você
Só temos uma vida
O que elas sentem não vêem ao caso, porque, quando querem te largam sem pensar
Tenha grana e tudo se resolve

Sonhe, imagine
Nada o impedirá
Não precisas de ninguém
Você se basta


Viu eu te falei , fica quieto em casa
Sem confusão
A vida passa rapidinho
Logo termina
E você não se incomoda, e pronto

Isso passa



Poucas vezes algo que li me marcou
Tanto quanto estas palavras
"Isso passa"

Não importa o que aconteça na tua vida
"Isso passa"

A lógica do fernando




Acho que as manhãs de domingo , sempre me trazem alguma nostalgia
Arrumei algumas musicas, li um bloguer especial
Especial porque é da minha ex mulher, e fico admirado
Como não a conhecia
Digo isso livre de raivas, amores, ou outros sentimentos
Apenas como homem

Hoje a vejo de forma totalmente diferente
Dói muito admitir , que não amamos mais uma mulher como homem
E sim , de um momento para outro
Passamos a respeita-la como uma grande mulher

Ultimamente venho percebendo comentários à minha volta
"A sua ex está muito bem a separação parece que fez bem aos dois"
"Você emagreceu fernando, está se cuidando mais"
"A sua ex está radiante, linda"
E muitos outros comentários

Precisei sofrer, reclamar , para perceber as coisas
Como pode duas pessoas se destruírem, seja lá por qual motivo
Hoje temos dores, mas , parece que são diferentes
Elas estão nos fazendo crescer
A ex com uma claritude muito maior
Eu mais devagar, como sempre

Talvez estamos à renascer
Não vamos ser hipócritas, que tudo é fácil
Não é
Eu principalmente ando apavorado, com a possibilidade
de me sentir bem, ou de ser feliz
Imaginar que posso viver diferente do que vivi, me faz ficar sem chão
Será que posso mudar ?
Estarei errado em mudar?
Mudarei por mim ?


Fecho os olhos
Não ouço
Não sinto
Não percebo

A lógica do fernando, "se eu não mudar, permanecer o mesmo"
Tudo em volta permanece igual ?
Não , as pessoas e as coisas em minha volta, tem vida própria
Percebo isso hoje, talvez um pouco tarde

Estou no limite de permanecer ou seguir
Uma linha que sempre visualizei e nunca cruzei
Para ultrapassa-la é necessário coragem e ser somente "eu"
Apenas um pode , os demais "eus" ficarão para trás
Sobreviverei?

quinta-feira, 26 de março de 2009

Não posso, não quero, não decido



Desvencilhar-me de responsabilidades
Já que eu não as posso resolvê-las
Sentir o peso de não poder

Decido um não, ao futuro , ao presente e aceito o passado
Não tenho como fazer diferente
Meus caminhos se estreitaram
Opções não mais existem

Após um desabafo à vida
Retorna um vento gélido
Que me imobiliza

Estático estou à vida
Minhas acções, palavras ficam ao esmo
Nesta manhã decido o improvável
Novamente os acontecimentos atropelam o pouco de vontade que me resta
Nem forças me restam à contestar
Aceito, novamente, simplesmente aceito

O fácil , que me persegue
Acossado estou
Abandono meu eu
Sem protestos sigo o caminho prescrito
Olhar vazio à espera
Do previsível

Ironias me restam
Um sorriso
Lutastes e acabastes como todos
A seguir caminhos já dantes descritos
Nem os próximos te deram a chance
da escolha
Siga agora , não lutes mais, o percurso que lhe resta é curto
Novamente cedestes

quarta-feira, 25 de março de 2009

Gritos à ecoar



Estranho eu te chamar pelo teu nome só
Estranho parte da minha vida se resumir às letras
Você me diz, fernando toque a tua vida
Faça sempre o que tu quis fazer
Até chega a dizer "tente ser feliz do teu jeito"

Sabe , acho que estou tão acostumado a ser infeliz do meu jeito
Que não estou sabendo ser feliz de jeito nenhum
Falta-me competência nessa área
Tenho flashs de felicidade, e em consequência a culpa me arrasa

Culpa sim
Suas palavras ecoam todo dia
Não tens ideia

Porque não mudei, não tentei, não respeitei , não , não , não ....
Hoje enxergo-me como o pior, e quanto mais procuro viver, pior me sinto
Sabes que sempre estou a me preocupar com todos e pouco comigo
Preciso , necessito saber se estás feliz

É a única forma de sobrevivência que me resta
Dirás, queres isto para acalmar tuas culpas
Que o seja
Assumo todas as culpas, mas vivê-las diariamente
Estão à liquidar o resto que me sobrou de vida

Lembras, que sempre disse, que a toda manhã eu renascia
Era um ser feliz dentro do mundo que criei à minha volta
Se ti fizer melhor, não sou mais feliz , nem nas manhãs
A culpa inicia-se no amanhecer, como posso ser feliz?
A única pessoa que se deu por completo a mim
Eu não a fiz feliz, e como tu diz, por nenhum momento
Como conviver com isso

Voltar, aceitar, mudar, respeitar, são verbos que não consigo conjugar
Não saberia como explicar isso
Sou turrão, teimoso, birrento .....

Não estou a escrever, para junto comigo sentires culpa
Não tens culpa a carregar
Tentastes de todas as formas
Fostes além das tuas forças
Ao limite chegastes

Então estou aqui , sentado como sempre na frente deste computador
A choramingar minhas culpas
Esperando que me libertes

Fico a pensar
Que ser humano que me tornei
Fiz o que fiz
Quase acabei com tua vida de alguma forma
E agora, ainda não satisfeito
Fico a lhe pedir não perdão
Pior que isso
Fico a lhe pedir para ser feliz

Com isso, torno-me a cada dia
Uma fracção de um ser humano
E para não deixar de ser dramático
Ainda chegará o dia, e breve
Estarei sentado naquele banco de praça
Olhando a vida passar
Com o olhar de quem acha que ainda é alguém
E a lápide com as frases que nós sabemos bem quais são

segunda-feira, 23 de março de 2009

Não sou cachorro não

Dizem que os cachorros são fiéis
Que nada esperam
Nos protegem
Sempre prontos a brincar a dar carinho

Tenho dois cães
Eu diria que protegem , quem os alimenta
Esperam sim, comida
E em troca nos dão carinho, brincadeiras

Não sou cachorro não !
Sou complexo
Quero que me alimentem, que me dêem carinho e atenção
Quero ser dono
Sou egoísta, quero só para mim

Não divido
Digo sim querendo dizer não
Trabalho no que não gosto
Brigo as vezes com quem amo

Não mordo, mas grito
Não consigo latir, eu choro
Não balanço o rabo, eu sorrio
Não me agarro a um osso, agarro-me a vida
Não corro atrás dos pneus do carro, eu dirijo
Não durmo no chão, durmo com alguém na cama
Não uso coleira, uso anel
Não tenho veterinário, tenho médico

E tantas outras comparações que fazem me distanciar da vida canina
Afinal sou homem
Mudo de forma , opiniões, como se trocasse de roupa
Nunca sei de nada
Tenho dúvidas
Medos que não enfrento

Não vou, não fico, talvez sigo
Somos humanos
Impecavelmente imperfeitos

domingo, 22 de março de 2009

Os outros 299 ......

Quando chego ao psiquiatra
Olho nos olhos e percebo a pergunta que fica no ar
Quem é hoje? Quem és tu?

E no decorrer da sessão fica claro qual dos meus eu's resolveu ir naquele dia
Alguns divertidos outros nem tanto
Têm os intensos, nervosos, angustiados
Sem esquecer do envergonhado, galã e o Dom Juan


Meu psiquiatra diverte-se de alguma forma
A monotonia não sobrevive, são tantas personalidades
Todas querendo de alguma forma expor os motivos da sua existência
Uma confusão de opiniões

Hoje quase consigo senti-las, todas excitadas com a possibilidade de sobreviverem às outras
Sabem que o fim está próximo
E de todas as formas, estão a todo momento manifestando suas qualidades
Afinal mesmo os defeitos são qualidades

Quando refiro-me ao meu eu é um tanto complexo
São 299 possibilidades de eu's
Sobreviveram tanto tempo numa solidão
E hoje se encontram, a balbúrdia é evidente
Egoístas querem sobreviver a mim

Chego a rir, quando estou a pleitear algo
Esse interlocutório é interrompido a cada momento
São opiniões contraditórias, interesses sobrepõe à razão
Mentalmente tenho que mandar calarem-se
A fim de alguma conclusão chegar

Meus eu's , geram ruído , brincadeiras, protestos
Não obedecem fila
São espontâneos
Lidei até hoje assim, e não consigo visualizar outra forma
Confuso, decidido e complicado

Todos nós eu's um pouco tristes hoje
Sabemos que erramos
Quando em algum momento esquecemos que éramos único
Único e perfeito
Como Deus nos criou e não como queremos que seja
Humildade nos falta

Chegadas e Partidas!!!!!!

Ao ler palavras escritas em um blog
Fico a pensar em partidas
Minha vida também foi de partidas
Nunca cheguei

Quando tenho possibilidade de chegar
Parto !!!!
E na maioria das vezes são decisões solitárias
Motivadas principalmente por medos

Medo de que momentos é a vida
Momentos felizes fazem a vida
E vivê-los precisa de coragem
Mesmo sabendo que podem ser findos

Confesso que abri mão de uma vida já
Por medo !
Confesso que fico apavorado com possibilidades boas
Confesso o inconfessável
Tenho medo de ser feliz
Por isso eu parto ou deixo que partam.

Beijo o infinito

Essas linhas sem vontade
Medo sem escrúpulo
Felicidade que absorve
Descoberta
Beijo o infinito

quinta-feira, 12 de março de 2009

A lógica de viver

Sou o que sou, e quando demonstro o que sou
Parece que o entendimento fica mais confuso

Sou um provedor, a vida inteira agi assim
Seja na vida pessoal familiar, profissional
Tornei-me provedor que nada recebe
Ou que não sabe receber
A qualquer elogio se fecha, fica constrangido
O que não se acha merecedor

Sempre necessito estar com créditos
Como se a vida fosse apenas uma conta matemática
Que soma e diminui

Não admito a subtracção, ela me deixa sem chão, angustiado
A soma seja ela de bens materiais, amor, atenção me fazem feliz
Fico a vontade, grato por ter contribuído, eu diria até envaidecido
Mas essa vaidade é pessoal e introspectiva
É receber aquele olhar de gratidão
Olhar esse que me diz, "obrigado"

Os sentimentos de amar, amizade talvez tenham por mim sido deturpado no decorrer do tempo
Com uma lógica nada "humana"
Eu provenho , logo eu amo, sou amado e sou amigo

Talvez por isso , nem aos meus inimigos eu dei chance de sê-los
Conquistei um a um, com a lógica talvez absurda de prover

Esta lógica me torna o que ?
(-) humano Talvez ...
Sou por um lado, o grande amigo , chefe, disponível nas horas necessárias
E, por outro lado seco, sem sentimentos, desprezível na visão de alguns

Interessante a reação de quem tudo recebe
Primeiro não acredita que alguém faria o que eu faço
Incomoda-se , distancia-se, mas não consegue fugir
Sempre à espera que a cobrança venha da pior forma possível
Ou viaja achando que está sendo comprado em troca de alguma coisa
É um desperdício de energia negativa

Sou simples na forma de viver
De fácil percepção
Nada complexo

Hoje percebo que de nada adiantou esse esforço
O ser humano não precisa de um provedor
Ele quer mais, necessita de um cúmplice , parceiro ....

Com humildade tenho que reconhecer
A lógica de viver não existe
É simplificar a complexidade do ser humano


Verificar ortografia

quarta-feira, 11 de março de 2009

E o que realmente importa?


Ultimamente escutei por diversas vezes que sou um cara gentil, prestativo , inteligente, bom amigo, trabalhador, competente etc....
São elogios que me envaidecem e sensibilizam

Só não me fazem sentir melhor comigo mesmo
Falta-me a sensação de missão cumprida
Sinto que estou a anos luz de chegar lá

É tanta energia a ser despendida ainda
Como se dessa forma , eu conseguisse mascarar o que realmente importa
E o que realmente importa?
Seria um sábio se conseguisse responder
Ou seria um tolo por saber

Questionamento da existência sempre foi um fantasma a me acompanhar
Receio da morte nunca tive, e não sou um fatalista de forma alguma
Apenas reconheço a fragilidade da vida
E a certeza de um fim nunca esperado

São duas situações opostas a vontade de viver com o reconhecimento de que nunca estaremos preparados para o fim
Neste intervalo vivo descobertas
Um sem fim de caminhos
E nenhuma reposta sobre o que realmente importa.

Plateia da minha vida


As vezes ela pensa, "ele quer definições"
Não , apenas quero estar dentro
Esse lance de assistir o jogo todo na plateia, só aplaudindo
Ou eventuais autógrafos nos intervalos

Logo eu !!!!
Acostumado a apitar o jogo ou ser o dono do estádio
Não vim ao mundo para ser plateia da minha vida
Por mais que eu tente, não consigo
Desculpa

domingo, 8 de março de 2009

Enquanto planejamos a vida acontece



Enquanto planejamos a vida acontece
Frase talvez de John Lenon

Tantas pessoas à planejarem a felicidade
Participei da legião dos desesperados em ser feliz
Hoje com certa renúncia oferto-me à vida
Ao presente entrego angústias, prazeres e caprichos
Não mais vivo futuro ou passado, a vida provou que existe apenas o hoje
O amanhã é um talvez e passado já se foi

Nada é definitivo a não ser nossa existência , enquanto ela acontece
E percebamos que cada segundo torna-se fugaz se não compreender os motivos
Motivos de nossa existência

Sem entrar em delongas filosóficas ou metafísicas
Hoje meus sentidos são mais direcionados em perceber
Perceber que o tempo não pode passar , temos que vive-los
A intenção de minhas palavras nada mais é que a necessidade de não passar pela vida
E a frase a que me referi, responde esses anseios
Perceber o presente, degustá-lo a cada segundo
Mesmo na dor ou felicidade

Somos partes de um todo quando nascemos
E ao não perceber nossa existência terminaremos nossos dias ainda como um todo
Nossa individualidade deve florescer
Somos semelhantes porém único

Percebais e vivais o presente e desperteis à vida

http://feeds2.feedburner.com/DevaneiosInterativos

sexta-feira, 6 de março de 2009

Filha



Querida filha, através das letras eu me expresse melhor do que na vida.
Não resisti ao botão de criar depoimento, precisava ou melhor necessitava, escrever algo talvez da forma mais próxima que eu consiga , imagino um abraço terno, e em seu ouvido sussurrar TE AMO FILHA, por mais distante que teu pai o seja, sabes o que eu sinto.
Devo-lhe muito :
milhões de abraços e beijos não dados;
milhares de lágrimas suas que não percebi;
bilhões de sorrisos que não me envolvi;
Estou mudando, do meu jeito, tentando entender que seus olhos verdes não são só genética, é parte de mim, reflexo da minha alma.



http://feeds2.feedburner.com/DevaneiosInterativos

Destino ou garantia

Das vozes vêm
Medos, receios, dúvidas

Quem não os tem
Decisões que envolvem futuro
Nos fazem pensar, refletir
Suar as mãos
Falar demais

Sem a paixão que nos faria ir ao abismo sem pensar
Conscientes sim !
Atos planejados, passo a passo
Ainda tímidos

Receio de que esses passos tão pensados
Se transformem em corrida louca ao encontro de um destino
Destino sem garantias
Que chamamos vida .....

E esta se realizará na forma esperada
Como todo sempre
Como se fosse historia
O todo ganha
As vozes são mais fortes
Declinemos aos sonhos e vivamos a realidade
Assim será como o trem que não pode parar na estação e seguiu ....

terça-feira, 3 de março de 2009

O que posso esperar ?



Sou o cara da quinta ou da sexta
Ainda não sei
Almejo ser o do sábado, lugar privilegiado, reservado à poucos

Não sei até que ponto resistirei
Sonhava em ser o cara da semana talvez
Não sou, talvez nunca serei

Sou o cara hoje cansado de insistir
Não tenho dia
Sou do amanhã ou quem sabe

segunda-feira, 2 de março de 2009

Pessoas não mudam ?





Ouvi certa vez que as "pessoas não mudam"
Na época recordo-me bem, fiquei impressionado com a frase
E logo em seguida ouso outra que "árvore que nasce torta morre torta"
Eu deveria ter no máximo uns 10 anos


Deparei varias vezes com essas árvores
E nunca consegui assimilar aquelas frases como verdadeiras
E das experiências que tive, observo sim, que pessoas são o que são na sua essência
Não quanto a comportamento, porque factores externos à fazem mudar ou se adaptar

Gratificantes foram essas experiências
E não foram poucas, e acreditar na essência do ser humano proporcionou-me uma vida com raras decepções e nenhum inimigo.
Talvez o dom da paciência em esperar que as pessoas percebam que não és hipócrita, faz com que reconheçam em você uma pessoa confiável, que tem um horizonte à frente, sabe a onde ir.

O porque destas frases, é para me sentir melhor no sentido que sempre segui caminhos que escolhi, acreditei em pessoas, fui duro muitas vezes e sensível em outras. Não estou interessado em auto-promoção, e sim, em fazer reflexões quanto a manipulação das pessoas que se aproximam de mim, o fato de aceitá-las pode às vezes parecer que seja a necessidade de tê-las.

Hoje com certa tranquilidade afirmo não quero "TER" ninguém, quero sim, o que eu sempre fiz na vida, pessoas que são o que são e vê-las crescerem , sentir-me parte disso me faz bem, não para alimentar meu ego pelo reconhecimento, e sim, ter o prazer de ter acreditado no ser humano.

Quanto a mim, não sei se acredito tanto , não mudei eu sei, sou o mesmo que ouviu à frase que me referi no inicío, mas nem por isso deixo de ser o "ser humano na sua essência", e com humildade preciso e necessito acreditar nisso.

domingo, 1 de março de 2009

O que será













Esses dias não são como os outros, aguardando decisões, ou deixando de tomá-las
Sempre pensando em mim, forma de agir que não deixei nunca
Com essa chuva, fiquei a olhar pela janela, observar a natureza que me acalma
Fiz uma retrospectiva desses dias, e cheguei a uma conclusão
Do meu medo do sim ou do não, do querer ou não

Não quero aceitar condições, preciso conviver com aceitação
Também não quero impor condições
Quando digo que uma decisão é simples,
Falta-me a capacidade de vivenciar as situações de outrem
Nas reflexões que vêem à mente, percebo como deve ser difícil
Não é tão óbvio

O que existe de óbvio é minha insensibilidade do não perceber o esforço que se faz
Devo ser tão egocêntrico a ponto de cegar-me
Quantas vezes repeti esse erro tão básico

Sabendo como sou, mudaria a forma de agir ?
Talvez sim , desde que não entre no jogo de aceitar e aguardar
Ou ter que negar para ter
Tenho uma qualidade, sou do sim ou do não, o talvez não me deixa a vontade

Mas a reflexão me deixou aquietado
O dia transcorreu tranquilamente
A espera deixou de existir,
E em seu lugar ficou a sensação de que nada mudará, o que tiver que ser será