domingo, 31 de maio de 2009

Momentos

Recebi uma noticia que deveria me deixar
Preocupado, triste talvez
Pouco me afectou , eu acho

A tranquilidade com que lidei com a situação
Parecia nem ser eu
O tom de voz não se altera
Mantém o mesmo volume
Transmito segurança

Aponto caminhos com a facilidade de quem já os viveu
Não há duvidas só certezas
Momentos de pura racionalidade

Sim, nas crises ajo desta forma, sempre fui assim
O que transpareço não necessária mente é o que sinto
Nestas horas sou como um cirurgião em uma operação delicada
Nada me atinge

Esta racionalidade deveria me acompanhar mais vezes
Ou não me abandonar como está a fazer ultimamente
Afinal esperam comportamentos correctos
E o que estou a fazer em nada de lógico se parece

Falar que não me reconheço não é o caso
Apenas as ações ilógicas que antes tinha
Eram limitadas, atingiam sómente a mim
Hoje não mais

Vivo momentos é isso
Momentos
...

Viva o caos



Pra que equilibrio
Bom senso
Cuidado

Estou a falar em relação a nós mesmos
Não fazer mal a outrem

Estou curioso nas opiniões
O caos está instalado
Equilibramos entre perdições
Contradições e por ai afora
E não nos entregamos, pelo menos alguns
O que faz seguir o caminho ?

REINO ENCANTADO II




O Reino encantado ficou sem rei
Na historia do Reino Encantado I,
Este com seu corcel , desencantado se foi

Perguntaram quem mora no Castelo
Ou quem pode morar ?

Sei pelo que me contaram
No dia seguinte eleições ocorreram
Afim de nomear o novo Rei
Entre príncipes, princesas, Doutores, e o perdedor bobo da corte
E sem explicação
Os únicos votos que na urna permaneceram , eram para o bobo da corte
Os demais sumiram como mágica fosse

O Castelo encantado havia feito a escolha
E nele permenaceriam quem realmente ali fizesse sua morada

E assim o tempo passou
Não era sómente para bobos da corte
Ali fizeram sua morada
Princesas que sonham com o príncipe encantado
Príncipes que procuram a Bela Adormecida
Donzelas a suspirar
Alquimistas que de tudo duvidam e questionam
E para nós mortais, que não temos um lugar
Ali nos confortamos e desejos realizamos

Quem lá mora
Pode se sentir em uma ilha deserta
Ou numa fortaleza totalmente só
Amores a cortejar
Nada é impossível
As escolhas fará!

A regra que o castelo encantado impõe aos moradores
É única
Uma vez as escolhas feitas, não mudarás
E a eternidade terás

O tempo passava , e o Rei agoniado
O único que havia feito uma escolha a de ser Rei
Os demais, a todo momento mudavam de opinião
Receios tinham
E mesmo tendo a possibilidade de realizar qualquer desejo
Mudos permaneciam

Suas vidas medíocres que assim achavam antes de la morar
Continuava ...
Faltava-lhes coragem, discernimento para decidir
Velhos ficavam

O Rei triste e deprimido por ver tal situação
Nada mais podia fazer
Constatou que não importa onde moras, como vivas
Ou as possibilidades que tenhas
Nada importa
Vivemos a dúvida, a surpresa, o mistério
As certezas nos deprimem

E assim, nada se alterou
O castelo ali permaneceu
E mais um rei se foi

sábado, 30 de maio de 2009

O equilíbrio do desejo e o amor



Amamos o melhor
Desejamos o pior

Paradoxo?

Ouvi uma história a muito tempo
Alguém que sofre pelo desejo, e não consegue ser feliz
Outro alguém que ama , e sofre por falta de desejo
Não importa a ordem em que ocorra
Nem vale a pena revelar os infortúnios ou momentos infinitamente felizes
O final foi a distância

A psique ou alma como dizem, necessariamente precisa sentir as virtudes da vida
Virtudes estas que nos elevam à dor ou ao êxtase
São caminhos a seguir ou a perseguir
Neles encontramos e somos encontrados
Esbarrões de lucidez fazem com que mudemos
Alteramos caminhos
E vivenciamos da forma que nos é dada

O equilíbrio do desejo e o amor
Culmina com a brandura do saber que somos "uno"
E que nos relacionamos


Estender e receber a mão
Escutar e ser ouvido
Admirar e ser admirado
Acolher e ser acolhido
Confortar e ser confortado
Envolver e ser envolvido
Ambos perceber o corpo que sacia
Cumplicidade no viver

Isto nos faz um ser "uno" que se completam
E a eternidade dos momentos felizes nunca será finita

Eterno (Carlos Drummond de Andrade)

Não pude deixar de incluir no meu blog
Diz infinitamente tudo
Bom proveito



Citação

Eterno (Carlos Drummond de Andrade)



Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata!

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é segui-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber...
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na lista telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém e saber se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos e admitir que nos deixamos levar.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?”
Difícil é dizer "adeus". Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá...

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.

E é assim que perdemos pessoas especiais.

Meu analista




Nesses momentos , em que a página em branco torna-se um desafio
Sim! , de algo a dizer
A mim mesmo
A mais ninguém

Brota do nada, palavras que se embaralham e dão sentido
Ouço palavras mansas que não deveria me expor
E porque não ?
Nada a perder ou ganhar é sensação exultante
Poucas vezes permitida

Meu analista iria a loucura de prazer
A ler tais frases
"Sou Frágil"
"Não sou único"
"Quero um abraço"
"A solidão existe"
e,
"Desisto de permear os limites"

Com grande satisfação estou a sorrir
Que economia semanal isso daria
Novo cliente ele acharia

Não posso aceitar com facilidade essas contastações
Fácil tudo ficaria
E do nada me curaria

Curar-me improvável seria
Efeitos colaterais teria
Insatisfação
Conformismo
e as horas do dia, longas tornariam
e meu blog terminaria

Meu analista que não se encante
Ali permanecerei
Até que o improvável e furtivo
Mistério ocorrer

sexta-feira, 29 de maio de 2009

O dia que deux chorou



O dia em que deux chorou
quando enxergou o que tinha realizado

As certezas esvaem-se
As conquistas nada representam
O tempo retornou com ímpeto
Os rios já não correm mansos

Sempre do seu jeito
Nada se altera sem consentimento
Palavras ao vento

A solidão do "poder"
O poder de nada adianta
Sem compaixão

deux não ama, não abraça e nem afaga
deux convive somente
A distância lhe convém

Que deux tu és?
Nem sorrir sabe
Pensas e não ages
Sem forças acabas

Historia sem fim



Olhei em seus olhos
Tristeza

Eu
Sem álcool a alimentar carências
Sem esplendor para alimentar olhares
Sem juventude para futuro

Nem por isso, deixo a vida me levar
Por mais que procure, não encontrarei
Ficou claro como amanhecer

Sono é o que sinto
Cansaço de horas de expectativas
Compreensão equivocada
Decepção por não ser o objecto de desejo
Poderia mas não sou

Nem o beneficio da dúvida
O tentar
Absolutamente o nada

Assim, recolho minhas vontades
Com a dor do resignado
Afasto-me
Fujo
Abandono
Desisto
Isso com muita coragem

Coragem de quem tentou
Lutou
Só não venceu

Guardo em minha mente
o singelo obrigado e um sorriso
e o meu
Por nada

Historia sem fim ...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Oscilando



A conhecia
Das letras eu sei

"Vivo oscilando entre a fantasia e a realidade. Mas na maioria das vezes o que prevalece é apenas a fantasia daquilo que poderia ter sido e não foi. O que escrevo não é para entender, é para sentir."by Dra Repolha

Frase de um blog que sempre leio
Ficou marcas
E hoje com humildade empresto a frase

Resume uma história de vida que só eu sei
Oscilando Oscilando Oscilando
Quem sabe ache o ponto de equilíbrio

Enquanto isso escrevo
A me convencer
Que no reino da fantasia
Não fui o bobo da corte
Que se tornou Rei

terça-feira, 26 de maio de 2009

Requiem da semana finda





Da filosofia ao erotismo
Exploramos o quão profundo somos

O ser quanto carne , quanto mente
Arrepiam e brilham
Conhecestes as sensações do corpo
E vibrastes seduzir com conhecimento
Experimentastes a diferença

Da simplicidade da sedução ao compromisso fútil
A bela
Que ao toque desfazia em suspiros
Transforma-se mente e alma
Do casulo ao mundo
Estranha se faz

Os personagens da sedução
Dantes tão apreciados
Cristalizam no passado

Queres
Seduzir e conquistar a essência
E sozinha se faz
Inevitáveis receios a que caminhos seguir
E desejos a te perseguir

Não és a mesma pequena bela
A fragilidade não abandonastes
Mitos espantastes
Vives sonhos que não realizastes

Sei pequena bela, que tens um caminho a seguir
E como aquele professor a proferir uma palestra
Encerro feliz do papel que fiz

Sonho de amantes



Pele sedosa, sensível ao tacto
Lufada de vento na pele
Lábios húmidos a tocar o seio
O calor acalenta e arrepia
Nada a dizer, sussuros à meia luz
Cadencia de amantes
Roçar de pernas
Lágrimas de êxtase
Aconchego de corpos
Sonho de amantes

Metamoforse



Comentei com alguém , que morro ao adormecer
E renasço a cada manhã

Pode parecer pretensão, arrogância ...
Não o é !

Vivo o dia da forma que ocorrer
O acaso e minhas vontades completam o dia
Parte é Deus e outra sou eu
Pretensão de novo?
Aos meus olhos é assumir responsabilidades pelos actos

Futuro é o momento
Resultado de tantos anos imaginando e planejando futuro
De nada adiantou
Vivo o momento

E percebendo a vida desta forma
Vivo melhor
As angustias ficam restritas ao dia
Morrem comigo a cada anoitecer

E o amanhecer torna-se promessa de vida
Bela, ensolarada, e com sonhos a realizar

O que prometi, o que neguei, ou amei
Não desaparecem
Sofrem metamorfose

Meu tempo não que seja curto, mas findo
E o é !!
Desde que nasci
E só percebi nesta idade
Agora !!
Vivo como se todo dia fosse o último

Mudar porque ?
Se não serei o mesmo de ontem, nem o de amanhã
Sou o hoje

Humano me tornar




Eu disse que seria um dia diferente
E foi

Agora próximo a meia noite
Inicio e fim de uma conversa sem sentido
Sinto-me pequeno, ridículo com esse papel

Por outro lado,

Leio e escuto hoje palavras de
quem viveu tanto tempo comigo
A distância de quem me afastou
E nada posso fazer

A impressão é a realidade de um ser que não sou
Ou sou?
Quem me vê assim, imagina um fraco a desmoronar
Alguém que precisa estar a escrever para se reafirmar
Morrendo de amores a se acabar
Ou a frieza de nada o liquidar

Escrevo para me mostrar
O tempo passar
Meu coração apaziguar
E mais humano me tornar

domingo, 24 de maio de 2009

Pra que isso




Hoje foi um dia diferente de ontem
Hoje foi um dia diferente de ante ontem
Hoje foi um dia diferente
Amanhã será um dia igual? ou diferente?

Tenho certeza que será diferente
Olhos mais abertos
Sentimentos mais fechados

Não que eu queira, mas por necessidade
Assim fica mais fácil, não cansa

Tem palavras que marcam
Tem situações que constrangem
Pra que?
Necessidade de se colocar numa situação especial?
Fragilidade ?
Cansaço das mesmas coisas?
As mesmas falas?
Ou não sentes nada?
Ou não queres dizer da forma que tem que ser !!!
Não sei ...

Sei que sou o que sou
Não posso reverter tempo
Não tenho esse poder
Não concorro, apenas existo

Sempre fui fiel a tudo e a todos
Não entendido muitas vezes
Sou um porre as vezes, mas quem não é
Então .......

Não quero mais ouvir que canso
Sinceramente não
Não mereço
Mereço ouvir desista
Mas não mais isso

Papo com a filha 2




Fer:

*ta, *como vai vc filha,

Filha:

*to sim , *=]

Fer:

*http://desvaneiosinterativos.blogspot.com/2009/05/o-coelho-cor-de-rosa.html

*leia antes isso, *que eu fiz pa ti

Filha:

*ahahhaha bonito o desenho do coelho hein, *;D

Fer:

*hihihihihi , *me superando

*=], *legal

Fer:

*le o que o pai escreveu

Filha:

*to lendo, *hehehe , *ficou legal

Fer:

*gostou, ou puxa saco do pai só

Filha:

*ahahha . *nao puxo saco =]

*o fabio gostou do coelho Tb *ahahhaa

Fer:

*meus desenhos fazem mais sucesso ke meus textos

*acho ke vou virar artista plástico de paint

Filha:

*não, eles só são a primeira coisa a chamar atenção pq são engraçados

*ehhehehe

*isso

*faz uma exposição, *olha q tem gente q vai chamar de arte mesmo e pagar um dinheirão

Fer:

*desenhos de devaneios

Filha:

*isso

Fer:

* as idéias tão claras

*pq teu pai não anda muito claro ultimamente hhihi

*hj é daqueles dias de ficar escutando a mesma musica

Filha:

*ehehhe

Fer:

*trafic

Filha:

*ta sim

*=] , *essa musica ja disse q nao acho bom vc ficar ouvindo. deixa mais pirado. ehhehe

Fer:

*mais do ke tou imposssivel filha

*o pai ta cansado de tanta piração ehieihehie

*é muita adrenalina pa um coração só

*precisava de uns dois

Fer:

*deixa teu´pai incomodar um poco

*leia minha pequena janela

Filha:

*ta , *não entendi tão bem

*ficou um texto legal, mas não entendi tão bem

Fer:

*a vida do pai se reduziu filha

*antes exergava bem mais a vida

*agora só me vejo

*o resto é mero borrões

*é assim ke ta a vida do pai

Filha:

*hmmm *entendi

Fer:

*apesar de tantas janelas a abrir

*a minha janela de vida se tornou pequena demais

Filha:

*talvez pq antes vc só olhava pra fora

*agora foi forçado a vrvc , *sei la

Fer:

*esta certíssima, *e não gostei do ke vi, kkkkkkkkkk

Filha:

*hehehehe

*então se não gosta, é só ESCOLHER mudar. escolher pq vc pode sim, antes q vc venha com essa desculpa furada de mais de 50 anos e blablabla

Fer:

*a tah, é facil , no auge da tua idade, falar isso, *filha tudo é muito dificil aos 50 anos

Filha:

*não to dizendo q te seria facil. *mas é possível.

Fer:

*sim, sempre é possivel tudo

Filha:

*é, ou isso, ou a janela da sua vontade é q se fechou de vez...

*mas vc pode abrir sempre q quiser. o ponto é querer

Fer:

*e a cada vez que a abro, uma decepção

*decepção do que eu fiz, ou deixei de fazer

*decepção das vontades que hoje tenho , e não consigo

*são tantas situações *que confundem

*em compensação , fico melhor no meu trabalho, ali me supero

*mas no resto

*fecho a janela, com medo de abri-la novamente

*e ver o meu eu novamente

*sem dramas, mas é isso

Filha:

*sim. mas não é pra ficar fugindo. vc ja sabe q a única maneira de enfrentar isso é se encarar. aos poucos tenta não fugir mais não.

Fer:

*Minha filha , *Tantas vezes eu tentei, vc não imagina, mas sabe

*Aprendi algo nesses ultimos tempos

Filha:

*hmm

Fer:

*Temos que aprender a abrir a janela

*Acho que não respeito , por isso o q eu vejo não é bom

*Preciso antes mudar, para poder abrir novamente

*Filosófico até

*Mas teu pai sempre foi assim

*Nunca direto, sempre filosofando as coisas simples

Filha:

*e aí vai enrolando a visão q não gosta

*não complica o q ´simples e vai ficar mais facil

Fer:

*E como vou querer , que os outros me admirem ou respeitem

*Fica dificil

Filha:

*vc tem q se gostar, e se não gosta agora, mude-se e passe a gostar. mas tudo tem um preço. vc pode pagar o preço da mudança, e ganhar o premio de se gostar, ou pode preferir não pagar esse preço, mas vai acabar continuando a pagar o preço de não olhar mais pela janela pra nao ver o q sabe q nao vai gostar

*de um jeito ou de outro paga-se o preço

*mas um jeito é maios gratificante q outro

Fer:

*Sim filha, são opções é o que tu quer dizer

Filha:

*isso

Fer:

*Mas , para optar, precisamos ter em mente uma coisa

*O que queremos, onde vamos, o que desejamos

*O que é melhor, ou o que é pior

Filha:

*isso , *vc ja fez essa leitura?

Fer:

*Eu quero filha hoje viver, tenho sede de viver

*Viver o que não vivi, reviver coisas boas da minha vida

*Viver o que eu gosto

*Ser eu mesmo

Filha:

*pois é, mas o q vc ve e nao gosta nao te impede de realizar esse teu querer por completo? nao te atrapalha

Fer:

*O pai é alguem que parou parte dele no tempo, la atrás

*E busca alterar tal situação

*Talvez encontrando algo que venha completar

*Mas é dificil

Filha:

*entao... pra isso, janelinha pra vc.

Fer:

*Quase impossivel

*Acabamos na janelinha ihhihihihi

Filha:

*o q ficou la atras ta onde vc nao quer olhar

*ehehhe *poi sé *=]

Fer:

*Vamos deixar ela por enquanto fechadinha

*E ver o que vai dar

*Se eu perceber ou aprender, talvez volte a abri-la

*Quem sabe, se houver tempo ainda

*Até la, estou tentando viver da melhor forma possível

*Sei que não mais do que de repente, algo muda

*É minha esperança

Filha:

*=] *tenha fé

Fer:

*Falei demais, esse é meu problema, penso demais, falo demais

*E tenho poca fé *kkkkkkkkkkkkkkkkk

Filha:

*ehehhehe

Fer:

*Vou ler mais Nietzsche

*vou deixar tu tocar tua vida, perfeita como sempre

*Parabéms para voces dois

*Tenho orgulho de vc

*vcsss

*no plural

Filha:

· Nietzsche DEFINITIVAMENTE não vai te ajudar. Ehehhehe

Fer:

*só pq ele disse ke deus esta morto

*sei das tuas rejeições quanto a ele

Filha:

*sim, ele mesmo estava morto em si por pensar isso.

Fer:

*Só uma pergunta tola, de um tolo

*Tu me enxerga só para o resto da vida?

Filha:

*=] nao

Fer:

*hihiiih *mas não me enxerga só, isso eh bom

Filha:

*=]

Fer:

*sei ke tu eh transcendental, me enxergas com teu Deus

*te conheço filha

Filha:

*não tem nada a ver com trascendentalismo. ehheheh

Fer:

*sei sei sei

Filha:

*mas deixa. quem tem q enxergar alguma coisa aqui é vc...

*não mais por janela ou janelinha ou janelão

*mas imerso na vida.

Fer:

*sim, deixa eu com minha janelinha, escutando trafic, e lendo Nietzsche

*E sendo um homem responsavel de negócios

Filha:

*protesto contra tuas janelas. heheheheh

Fer:

*anotado teu protesto *Não aceito

Filha:

*então ta *;] *auhahuuahhua

*azar o seu, meu Deus anotou e Ele aceitou. ahhahaha e Ele manda mais q vc *ahhahahaha *;]

Fer:

*tu sabia ke adoro por nossas conversas, são criativas e instrutivas para mim, sempre as releio

Filha:

*portanto, definido está: meu protesto é válido e está correndo os tramites legais para tal *ahuuhauhauha *=]

*q bom pai

Fer:

*Vou recorrer *da descisão

Filha:

*tb gosto de falar com vc ;]

Fer:

*beijao filha, vc sempre soube me escutar

*Agradeço esses momentos

Filha:

*pode recorrer, mas meu protesto é baseado em verdades e elas sempre ganham. ;D

Fer:

*Anotado está

Fer:

*o pai tambem, tu sempre soube, uma presença constante na tua vida

*que até sufocava *kkkkkkkk

Filha:

*ahahha *=] *mas ta melhor agora né?

*(viu como vc pode mudar hehehe)

fer diz:

*estou ainda com minhas companhias, nietsch, e trafic ihhihihihi

*não sou fácil não

Filha:

*vc q acha *hehehe

fer diz:

*entaum és a única no mundo que me acha facil

*ehiehiehiehi depois me da a fórmula *para distribuir por quem está perto de mim

Filha:

*ahhahaha *eu não falei por mim. hehehehe

fer diz:

*ninguem acha isso

Filha:

*pra mim ta comp0licado igual hehehe

fer diz:

*putzzzzzzzzzzzz me ferrei

*entaum fazer o que * Nietzsche explica *acho eu ...

Filha:

*Deus te acha fácil. *e era freud q explicava * Nietzsche só complicava

er diz:

*freud tinha um problema sexual *tudo era sexo para a cabeça dele

Filha:

*freud apesar de explicar, só falava besteira.

fer diz:

* Nietzsche não

Filha:

*sim *ehhehe

fer diz:

*Vou pensar entre Deus, freud, e Nietzsche

*vamos ver o que vai dar

Filha:

* Nietzsche como eu disse, falava da morte de Deus e da vida do homem. mas a vida do homem é dada por Deus, então ele falava de algo q inexiste.

*isso, já é um começo. hehehe

fer diz:

*ainda bem ke tu aprendeu com teu pai a ler muito

*sabes discutir *e argumentar

Filha:

*aí é q ta... nunca li Nietzsche. o q sei não veio de mim. freud sim, essa é opinião minha, fui eu q li mesmo. ehhehe

*e não gostei. Hehehe *deu dó dele, ele não era são

fer diz:

* Nietzsche vc nem se lembra, conversamos varias vezes, "assim falou zaratrusta"

*vc não lembra

*muitas coisas que eu falava, era o que eu lia

Filha:

*hmmm

fer diz:

*entaum conheces Nietzsche, sem saber

*entaum tb não sou são ehehiehiehi

*Mas não me pertubo com isso,

*Ainda consigo ter um pé na realidade

Filha:

*disse q freud não era são

*mas na verdade, poucos são

*hahahaha

fer diz:

*ehieiheiheihehi

Filha:

*trocadilho horroroso

fer diz:

*sim

Filha:

*heheheh

fer diz:

*ainda mais vindo de vc

Filha:

*hahahahah

fer diz:

*fiquei admirado *fugistes do teu normal

Filha:

*mas eu faço trocadinlhos infames sempre

*mas qd a gente conversa quase nunca tem espaço pra isso

fer diz:

*vai ver ke é daquelas histórias sem fim, infames, que inventávamos quando viajávamos *que só nos dois para aturar

Filha:

*isso

fer diz:

*e tuas amigas a rir *de nossas conversas sem meio, e sem fim, e por não dizer, sem começo

Filha:

*ehheheheh

fer diz:

*bons tempos, que eu era motorista de adolecente

*eiheiheihehiehie

*E agora me culpas por escutar tum tum , trafic

*Culpa tua

*Não fujas da tua responsabilidade

*Sou um poco voce filha

Filha:

*ehhehe

*a culpa nao é minha nao. eu queria ir de carona e nunca pedi pra vc ir na balda *;]

*vc foi pq vc quis, ou seja, escolha tua.

fer diz:

*Olhaaaaaaa, com 13 anos balada

*só com o pai do lado

*Não tinha outra opção, nem voce e nem eu

Filha:

*ahhahahah *entao, aconteceu.

*culpa de ninguem

fer diz:

*hiehiehieehi

Filha:

*0 a 0.

*hehehe

fer diz:

*sim filha, mas que os pastéis as cinco da manha eram perfeitos

*eram *ehiehieihehiehiehie

*se me lembro bem

Filha:

*sim, e o cachorro quente nhaaaammmm do posto esso com cheddar

*ahahahha

*esse era bom

fer diz:

*simmm, tu sempre escolhia esse

*e eu preferia pastel

Filha:

*ahan

fer diz:

*e como sempre, fazia tua vontade

*e as gurias tb

*kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Filha:

*pois é. só acho q vc gastava demais com elas.

*nao precisava.

fer diz:

*sbe era interessante, eu ir la na balada, ficar em algum canto, e só ver voces

*pra cima e pra baixo

*e quando passavam por mim

*era um coro de

*oi pai, oi tiu , oi tiu

*kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

*divertido era

*quanto a gastar, o pai sempre gastou muito e com todos

Filha:

*hehehe

fer diz:

*afinal tu era filha única, e teu pai fazia de tudo para tu não se sentir só

*acho ke percebestes isso

*não só teu pai, como tua mãe

Filha:

*eu sei

fer diz:

*e outra coisa que tu não percebeu, foi o unico geito da tua mãe, fazer com que eu me aproximasse de vc, ela foi esperta

*e me aproximei

Filha:

*mas eu nunca achei vc distante.

fer diz:

*Mas eu era

*fica tranquila, e com Deus

Filha:

*amém

fer diz:

*Niechst deixa comigo aqui

Filha:

*beijo

fer diz:

*e o freud explicando

Filha:

*nem, tá despedido ele

fer diz:

*beijao te amo

Filha:

*te amo tb!