sábado, 27 de junho de 2009

Interpretar sonhos



Nunca fui bom interpretador de sonhos
Ás vezes me cobro em não perceber o óbvio
Tão experto em tantas situações e em outras ...
Como diz uma amiga, acho que vou desenhar para você entender ...
E as vezes nem desenhando

Será que o óbvio quando não me apetece não percebo
E desta forma, vamos levando , fechando os olhos
E quando me cobram, para interpretar um sonho
Fico totalmente sem ação
Não tenho a mínima ideia, ou aliás, tenho milhões de interpretações

Dizemos que somos claros, objetivos, tenho minhas dúvidas
Usamos de sonhos, ações não esclarecidas, caretas, silêncios para dizer algo
Não estou a falar que não participo desse mistério de agir
Ufa, poderíamos direto ser

E sendo direto, eu diria, estou com a síndrome da Gabriela
Daquela musica :
“eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim... Gabriela... sempre Gabriela”
Teimosia em não saber interpretar, talvez
Prefiro o beneficio da dúvida, me sinto melhor
E assim nem desenhando enxergo, mas, sei exactamente a onde eu quero chegar, não vou ficar a interpretar o que não entendo, deixa para lá, sigo e sei que não vou me machucar.