segunda-feira, 15 de junho de 2009

Recomeçar o fim do mundo



Se tivesse poucas horas
E o mundo acabasse
O que faríamos ?

Sempre que estamos em crises existenciais
A pergunta é recorrente
E as respostas ficam no imaginário de cada um
De todas que já escutei
A que impressionou foi a de um senhor , pedinte de rua
Que por acaso encontrei numa noite fria, a pedir esmola
Ao seu lado, uma garrafa de bebida
Não havia olhar triste, nem comiseração com sua situação
Dei-lhe uma moeda
E lhe fiz a pergunta
Se tu pudesse qualquer coisa, e tivesse só mais 24 hrs de vida
O que farias?
E com um sorriso sem dentes , tranquilamente respondeu
"Nada"
E o silencio ficou , eu a olhar, me recusando aceitar à resposta
Porque nada?
O sorriso malicioso, apareceu em sua face, sem dentes ainda
"Eu não fiz nada por mim até hoje nesses 50 anos, porque eu faria agora em um dia"
e me deu boa noite, seguiu o caminho

A cidade era curitiba, no lago da ordem, noite fria e húmida com aquela garoa que só nos faz sentir mais tristes, o silencio , as luzes , calçamento negro , o pequeno bar com algumas pessoas ali perdidas à discutir assuntos que não lembrarão no dia seguinte ....
Hoje vagas lembranças
E o vulto desaparecendo noite adentro
Ainda recordo bem

Não entendi à época
Talvez ainda não entenda completamente

Se ! Sempre se !
Se houvesse entendido aquele pequeno diálogo
Talvez hoje fosse diferente
Decompondo a frase , como neon brilha
"não fiz nada por mim"

Ele pode ter feito muito por outrem
E a ele ? nada !!!
E naquele sorriso não havia resignação
Procuro uma palavra para descrevê-lo
Não há encontro

A sensação de alguém que por ele nada fez, e ainda assim mantém aquele sorriso, e a coragem de não ousar a sonhar em ter uma vida diferente , nem que por um dia fosse.

Lições de vida talvez?

Cada leitor poderá a conclusões próprias chegar, não serei eu a tê-las
Também deixei 50 anos passarem ....