segunda-feira, 15 de junho de 2009

Sonhos a viver


Porque a insatisfação crescente
Mesmo tendo tudo, bons amigos, uma vida tranquila
Poderia ser a inquietação da alma?
Um bem querer não resolvido?
Ou desejos não realizados?

Muitas perguntas e poucas respostas, assim os dias passam
Sem coragem para determinar ou vamos mudar a forma , optar
Não posso optar , não me foi dado essa condição
Ou não me sinto capaz de faze-lo neste momento

O santa incapacidade, motivos talvez de risos eu sei
Como pode um ser humano viver dessa forma
A inquietação é a condição que permito a viver
Até meu porto seguro chegar, navegarei nessas águas turbulentas e nada conhecidas
Meu barco já a fazer água
E um timoneiro nada experiente, imaginem o resultado

Cada gota deste liquido são situações, frases que transbordaram
"eu estava tão perto e risos"
"relaxa és ansioso demais, o que tu queres ?"
"Esperar e não tocar o fone"
"Um dia inteiro e nada aconteceu, apesar das promessas"
"Malas feitas , malas desfeitas"
"Queria tanto poder fazer e não posso"

Frases , são como ondas
Um vai e vem, que me deixam sem sentido
E a cada momento de recuperação, a próxima
E assim continua

Não vou aqui me gabar de ser um bom timoneiro
Eu diria medíocre
Minha bússola há muito se perdeu
Rumo sem norte
A liberdade de não seguir
Estou em mares nunca dantes navegados

As decisões agora tomadas, são pura essência da existência
Instintos me guiam
Quando assim agimos, deixamos perplexos quem nos observa
A lógica deixa de existir
Esperamos que entre tantas ondas, a força dos instintos nos levem
À alguém que consiga perceber o que somos
Somos instintos , com vontade de sobreviver
E a isso justifica tal aventura nesses mares tão revolto

Por mais irracionais que pareçamos ser
Somos alguém que procura a vida , em sua forma completa
E a tranquilidade não é nossa meta
Somos sonhos, e vamos vivê-los