sexta-feira, 31 de julho de 2009

Preciso disso ?


Acordei e sabia que esse dia não seria igual aos demais, sexta feira, não sei o dia ao certo, e não faria nenhuma diferença. Faço meu café como todas as manhãs, o dia é retalhado em horas e compromissos, a rotina de todo sempre. Novo projeto, do papel à tijolos e aço, visualizo o sonho, etapas a cumprir e vencer, nunca foi estafante e sim desafiador, mas, sempre digo, o que seria de nossa vida sem o "mas", algo acontecia, eu sabia.

O tom de voz de alguém nessa manhã, me fez despertar dessa rotina, com a pergunta .
Preciso disso?

Ao caminhar, já sozinho , percebi que algo estava me incomodando, "nunca serei bom suficiente".

Em casa, remoendo os fatos, chego a conclusão, seja na vida profissional ou pessoal, terei que ser "bom o suficiente" a mim mesmo, aos outros paciência, nada mais posso fazer, não tenho mais tempo em "satisfazer" pessoas, não consegui em quase uma vida , sem exceção fui interpretado de insensível, autoritário, o que não dá sem receber, e outros adjetivos nessa linha.

Confesso quando estou a direcionar forças à atingir objetivos, que irão inclusive favorecer os que à minha volta estão, concentro-me de tal forma que a percepção dos demais fica nublada por minhas ações, isto quer dizer, deliciam-se com os bônus dos objetivos alcançados mas não aceitam o ônus dos esforços despendidos.

Viverei ao meu modo, como sempre agi, mas sem hipocrisias no sentido de me fazer aceitar, não sou melhor que ninguém, nunca fui.
Não negarei meus méritos sei que os tenho.


.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Perfect Day


Li no blog que acompanho sobre o que querer da vida
Já devo ter falado tantas vezes sobre isso, que até esqueci
Deixei de querer, vivo o presente, coisas assim ....

Será que serei réu confesso?
Açucarado ?
Meloso?
Deixar de ser indefectível
Senhor do saber

O que quero da vida ?
Que todos os dias sejam iguais a este :

Acordar, sabendo que dia maravilhoso será :
Abrir a janela , o frescor da manhã fará que me sinta de bem com a vida
Cheiro do café traga lembranças que me fazem pensar a respeito do passado, como foi bom, e valeu a pena
Todas as atribulações do dia, sejam por mim aceitas como desafios e que me façam sentir útil
Ao fim da tarde, olhar o por do sol como se nada mais importante houvesse
E do nada surge, aquele alguém, que tanto procurei a sussurar boa noite
E podermos conversar como bons amigos que sempre seremos
Que não tenhamos necessidade de explicações ou concessões
Te-la em meus braços como se infinito fosse
O sono manso de quem sonhos tornam-se realidade

Perfect Day

.

Coragem dos covardes







Terrível
Nada de culpas
Assumo minhas marcas
Sim, eu as fiz
Certas ou erradas , fui eu

E aí ?
Não recordo de ter deixado alguém caído pelo caminho
A não ser aqueles que não queriam ficar de pé

Posturas todos temos, nuances de personalidade
Aprendi a conviver
E porque não os demais ?

Corrompi e fui corrompido em sentimentos
Atire a primeira pedra

Humildade com hipocrisia ?
Não obrigado, não é meu estilo
Prefiro assim ser
Arrogante com humanidade
Eu fiz, eu sou, eu estou
Assumo as conseqüências e riscos de tal atitude

Não fujo, enfrento os medos com a coragem dos covardes
Sou assim sempre serei
Não me cobrem atitudes ou posturas
Sou o certo errado

Olhem-se não tenham receio
Parte de mim hão de enxergar
Felizmente ou Infelizmente
Decidam

:)


..

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Falta-me olhos



Como foi?

Eram gotículas de agua quente cristalina
À escorrer na pele
Faltaram-me olhos

Visão que me toma
Privilégio dos Deuses do Olimpo

Textura húmida
Movimentos lânguidos
Curvas que atraem

Cheiro de pele
Embriaga
Arrepia

Sorrisso travesso
Olhos doce
Sensual

.

Elo



Parte de um todo
Assim sentia

Parte de uma ciência
Assim imaginava

Parte de uma vida
Assim enganava-me

Descobri com os dias, que não era
Nada
Elo que quebrou
Não se adaptou

Estendido lá atrás
À procura de ligação
Contorce , molda-se

Hoje com esperança e já sem vontade
Ainda ainda ainda
Sonha .....

terça-feira, 28 de julho de 2009

Silêncio de outono


A mesa lá estava
Talheres , pratos, copos
Cheiro de comida
Cadeiras
Pessoas

Silencio tendencioso
Revelações à ocultar

Frase retumbante
Não quero mais, é o meu limite !!!!!!!!!!!

Leve olhar dos presentes
Reações contidas

Não satisfeita
Por favor alguém me escute ?
Estou à conversar com paredes ....

Rugas de compreensão
Murmúrio inaudível

Doce e triste olhar, como entardecer de outono
Sobremesa de gelatina colorida

Inalterado está .....


.

Retalhos de palavras


Não resisto a tantas sandices

Venho sei lá de onde
Já nem lembro mais

Entender é cultivar o equilíbrio
Há muito abandonado

Perceber é estar atento a vida
Tempo que não ouso a ter

Julgar é acreditar
Para que?

Ocupar-se não é fugir
Sou assim

Envolver é parte fazer
O todo é impossível

Frases soltas, como sempre gostei
Retalhos de palavras

.

Vil ser, que das palavras se faz



Já que estava a falar de cego, lembrei-me da frase :
"O pior cego, é aquele que não quer ouvir"


Já não tinha boa visão em tantas coisas
Olhos fechados já estava, o que é interessante
Enxergo o que quero ver
Micos já não eram considerados, vai-se em frente e pronto
Até aí, tudo bem, não via nada, só escutava murmúrios
Assim não percebia, e acabava arquitetando tolices
E a escuridão era minha defesa , evitando o óbvio

Será que já fiquei surdo?
É o que parece, estou em situação pior que a justiça
Vejo e escuto, e torno-me cego e surdo
Surpreendente essa capacidade, de deletar o que não coaduna com a vontade
A vontade supera a razão, e assim a distância aumenta entre a eloqüência e o saber
Sobram-me palavras

Vil ser, que das palavras se faz

domingo, 26 de julho de 2009

Penso encontrar alguém cega, que me enxergue como sou




Na hipótese de eu te encontrar
O que te direi
Como devo agir
Tens idéia de como sou
Será que algo de mim, lhe encanta
O que esperas
Aqui estou, sem saber exatamente como me portar
Toda a minha experiência nada vale
Anos reduzidos a quase nada, pela angustia do momento

Na hipótese de te encantar
Flores são expressão do carinho
Chocolate adoça a alma
Gentileza é o que sou
O medo já não existirá, e a historia acontecerá
O fim ? não me preocupara

Na hipótese de me amar
O hoje é o que se vive
Não me deixes tão solto
Não sejamos "donos"
Vamos nos cuidar

Na hipótese de nos deixar
Já não sei
Se tivesse receio, não teria a hipótese de encontra-lá
E nada teria acontecido
A história não existiria

A hipótese que me permito , é viver como se não houvesse o amanhã


.




Carta dia dos pais




Carta escrita há 15 anos, que vim encontrar hoje, e tão atual
Que voltas o mundo dá , e que permitimos que aconteça
Palavras a pensar, perceber e mudar

Obrigado filha, por existir
Te amo




05/08/1994
Uma carta pro meu PAI

"Pai

No próximo domingo, não esse o outro, é o seu dia . É o dia de ganhar presente e de ser homenageado. Não importa que você não more mais comigo, você continua sendo meu pai, o pai que ajudou a me criar, uma das pessoas que mais se preocupa comigo e que eu amo.

Quero aproveitar para te agradecer por tudo que fizestes por mim e, por minha vida.
E também pelos brinquedos e jogos que tenho, sei que são uma forma de expressar seu amor por mim.
Fiquei chateada por você não deixar eu viajar para a casa da , mas sei que era por receio de acontecer alguma coisa no ônibus. Desculpe por te chamar de chato, é que eu estava nervosa.

Espero que você tenha gostado de conviver comigo, pois eu gostei muito de conviver com você. Você é muito legal, apesar de prometer coisas que não pode fazer.

Desejo que você viva bem o resto da sua vida e que pare de fumar. É para seu bem.

Você me ensinou, junto com a mãe, a ser gente e a entender como as coisas funcionam no mundo.

Infelizmente puxei você na teimosia. Por isso , quero me desculpar, as minhas teimosias e por minhas caretas , sei que você não gosta. Apesar de todos meus defeitos, eu sei que você me ama, e eu correspondo esse amor com notas, dançando, tocando e fazendo carinhos.

Quero tudo de bom para você, e quero também que me continue me amando.

Assinado sua filha

PS : Não vá morar comigo em Curitiba, só se me deixar sozinha ! rs rs rs


.

Yes or Not



A fase de depuração de minha vida está a terminar
Sei, que tenho muitas coisas a fazer e as realizarei
Falam sempre em procura que nego veemente
E estes últimos dias, cedo às evidências
Talvez procure sim
E ainda não achei

Este ato deve ser seguido de alguma lógica
Procurar o que?
Procurar a onde?
Sorrio ....
Lógica , sempre ela ....
Ainda afasto-me das milhares de linhas que escrevi em programas de computação
Do IF(Yes .or. Not) Go To
Redutores das opções que eram aplicados à lógica computacional
E parece que transparece em minhas ações

Neste momento estou disposto a abandonar a lógica
Esta me fez o que sou
Não vou definir-me, seria cansativo e enfadonho
O que concluo é a necessidade da procura
Além do Yes or Not, expandir as opções

Eu jamais imaginaria estar nesta situação
Quase no limiar do ser ou não ser
rsrsrsrs
Não mais me permitirei estar por estar
Ou ser por ser

Basta de hipocrisias lógicas
Que me dão a desculpa necessária
Em nada fazer

Estou disposto a esta procura
E uma frase me vem à memória
Que já repeti algumas vezes, não me lembro da autoria
"O medo de amar , não nos deixa feliz"
Então o que tenho a perder
Tenho certeza que o resultado não será um simples
Yes or Not
Serão sorrisos, emoções, lágrimas e vida


...

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O cálice


Sorvo o vinho, esquenta-me não conforta
Local perfeito , mesas bem postas, pratos decorados
Talheres e taças complexamente harmoniosos
Musica no volume e no gosto certo

Comida deliciosa ao paladar e aos olhos
Serviço perfeito, pessoas educadas e atenciosas
À volta casais sorrindo daquele momento
Conversa solta

Alguns felizes por taças à tomar
Outros felizes por amar
E muitos felizes à cortejar

Boa noite, queres um café ?
Da bruma das lembranças e observações, à realidade retorno
Sim, por favor

Vozes ficam para traz
Ligo a musica, tanto faz
Noite fria

Melodia acompanha meus pensamentos
Encosto o carro
Mar sereno
Sorrio em louvor à vida
Com a certeza de encontrar o caminho ...


.

Lirberto estarei



Será que só eu tenho necessidade de assim estar
Cansado de tanto convencimento
Provações de quem sou ou de quem fui
Ter que eficiente ser, mesmo sabendo que não tem sentido
O conhecer por conhecer, torna-se monótono
Os fundamentos de comportamento perdem a razão
O controle da TV a cabo , não controla absulutamente nada
Emaranhados de normas criadas para servir quem as decidiu
Imensas forças sociais espremem a seiva da revolta contra o estabelecido

Hoje pela primeira vez, tenho saudades da inocência
Lutava-se por tudo e por todos
Os grilhões ainda me permitiam movimentos

Será ainda tempo de descobertas ?
Diriam claro, o homem não sucumbe enquanto houver vida
Será mesmo?
Quando nos entregamos ao trabalho, à família, à sociedade
Provedores passamos a ser
A ambição envolve, e galgamos montanhas de egoísmos, hipocrisias e luxurias
Lutas do passado inocente perdem-se no tempo

O que ainda me resta descobrir?
A criança de cabelos loiros à brincar no quintal
O menino à coleccionar selos e estudar
O adolescente abismado com o mundo e devorador de livros
O universitário à lutar por causas sociais
O trabalhador de tantas greves

Não nego, procuro a simplicidade inocente que outrora tive
Desejo !
Despojar-me da máscara da sofisticação
Desnudar-me daquilo que não me pertence que tanto desejei
E assim, poder de novo inocente ser

Querer não é poder
Talvez não consiga mais inocente ser
Corrompido estarei

Absorto em meus pensamentos
Relembrando o caminho já percorrido
Os erros brilham ofuscando acertos
E temos a tendência de achar que nada acertamos

Talvez Deus tenha percepção diferente da minha
Nada posso fazer, afinal ser humano ainda estou
E na minha arrogância e hipocrisia ainda latente
Digo convicto que fui o melhor que queriam que eu fosse
E agora?
Serei o melhor que EU quiser ser
Liberto estarei



...

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sozinho

Sozinho

Caetano Veloso

Composição: Peninha

Às vezes, no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado, juntando
O antes, o agora e o depois
Por que você me deixa tão solto?
Por que você não cola em mim?
me sentindo muito sozinho!

Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
Só abro pra você mais ninguém
Por que você me esquece e some?
E se eu me interessar por alguém?
E se ela, de repente, me ganha?

Quando a gente gosta
É claro que a gente cuida
Fala que me ama
Só que é da boca pra fora
Ou você me engana
Ou não está madura
Onde está você agora?

Abraça-me



Quando eu estiver triste, simplesmente me abrace
Quando estiver louco, subitamente se afaste
Quando estiver morto, suplico que não me mate dentro de ti
Skank

Estava a escutar essa musica hoje
Fica evidente as vontades que ficam na memória
O abraço, loucura e a morte
De todas o abraço permanece, revive e conforta
Um ato simples na demonstração e tão valioso para quem recebe

Evitamos tal contacto, a fim de nos preservar
Evitamos sofrer com essas atitudes
Como se fosse possível não sofrer ou ser feliz

Aprendemos com o tempo o quanto desperdiçamos de nossa vida
Fugas sem fim
Para que?
Arriscamos morrer todo santo dia, desde nosso nascimento
E em certo momento achamos que podemos decidir não sofrer
Tolos somos
Arrisquemos
Se for para ficar triste ficaremos
Assim não abriremos mão da oportunidade de ser feliz
Ser feliz tem sua dose de sacrifício e riscos
Deixe o medo agarre-se á vida
Abraça-me

Como disse Vinicios de Moraes " O medo de amar não faz ninguém feliz"


.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

architect blue




Olhos azuis profundos
Sorriso que fascina
Trejeitos maroto
Menina mulher

Nada falas
Mostra como és
Mistério que perdura

Sigo-te a milénios
Não me afastas
Não me aproximo
É o código

Viagens de sonhos
Desejos contidos
Vidas opostas

Fio translúcido nos liga
Não rompe ao desligar
Permanece latente
Como o mistério que tu és, e sempre será ....

Transpomos o imaginário



O céu é o limite
Será que existe limites ao desejo humano ?
Não sei não !

A fome de viver é tanta
Tão complexa
Ás vezes fútil
Válida sempre

Transpomos o imaginário
Não nos importamos com infames descrenças
Lógica não teremos
Somos fruto do desejo e do improvável
O que esperar então ?
Sentido e percepção a guiar
E o destino não nos mais importunará

É a vida.....

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Amigos


Hoje é o dia do amigo
Pensei, como sou feliz !
Tenho bons amigos , na vida sempre os tive
Mesmo eu sendo amigo relaxado, mas , sempre disponível

Nessa caminhada, estive ao lado de grandes mulheres e homens
A admiração permanece intacta, mesmo não mais tendo contacto
Lealdade sempre presente

O fato de não ter inimigos e sim muitos amigos
Me fazem sentir melhor, de alguma forma também acertei
Cerquei-me de boas pessoas
Todos especiais de alguma forma

Há pouco tempo, conheci uma amiga, que possibilitou conhece-la em todo seu esplendor, foi indescritível
Estava eu, envolto numa bruma sem sentido
Não reconhecendo a existência do homem que sou
Mostrastes que sou mais do que eu mesmo imaginava
Destes mais do que podia
Tens minha gratidão eterna

Também conheci alguém, que há muito existia
Reflexo de minha alma
Assim eu diria
Mostrastes com sua altivez, que nem tudo tem valor
Dobrei-me às evidências, e algo aprendi
Não sou o ser perfeito que achei ser
Obrigado, aprendi ainda que tardio, a necessidade da humildade

Aos inimigos que ainda não tive
Digo a vos, não lutai
Não serei eu, a enxergar em vossas almas
O lado negro
Sempre apego-me à luz que existe em todos nós
E a vós eu dedico o presente post

Obrigado

Protesto


Não é protesto político ou coisa que o valha
É algo que incomoda , e gritar "protesto" nos faz sentir melhor

Protesto
Por meus erros e enganos
Quando você entende todos e a recíproca não é verdadeira
Saber que estamos em algum lugar, e não nos deixam perceber
Perfeição não existe, não exijas
Não me ache tão tolo, ninguém é assim
Inteligência tem limites
Elogios não sustentam relação
Acusações que não posso me defender
Por sonhos que não realizei

Protesto protesto ..............

Domingo

Domingo interessante um sol muito lindo
Percorri distâncias que não me permitia
Motivado por continuar

Agradável , em todos os sentidos
O retorno com paradas não previstas
Como nossa vida

Assim vou indo
Tranquilo, equilibrado
Naquilo que sei lidar

Assim é , assim foi

sábado, 18 de julho de 2009

Meu caminho

Porque não vivo do passado ou do que eu poderia ter feio ou ter sido
Ajo assim para continuar
Nada adianta desejar o impossível, o passado não retorna
Hoje tenho o presente e quem sabe o futuro
As expectativas do que desejo , realizam-se a cada dia
Nada fica para amanhã ou deixei para ontem
Vivo mudanças a todo segundo, e não interpretem como dúvida
Não o é
É a procura do caminho, que cedo ou tarde acharei
E será meu caminho

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Destinatário Sr. Carteiro Sra Luz

Carta direccionada a quem ainda não conheço, e que de alguma forma irá influenciar minha vida .

Prezada Amiga

Lembras daquele dia, em que passeamos e vimos o sol nascer na praia, confiei nos meus instintos, que és a pessoa que um dia quis ter e compartilhar
Romântico sob àquele luar e assistir os primeiros raios de luz solar, que reafirmavam que a vida promete.
O silencio se fez e foi por mais de uma hora, ficamos a nos olhar e aquecer os corpos, nada à dizer, o som das ondas do mar eram nosso refugio.
Lembro-me bem, adeus sem fim, pedistes para não me levantar , e ali fiquei e sua sombra distanciando-se, até no horizonte sumir.

Passado algum tempo, lembras da roda gigante , palhaços, a mulher aranha, e tantos outros que ali estavam, e o destino nos fez cruzar, o sorriso iluminou , aquela conversa à toa, pouco a dizer, observando mutuamente.
Quem éramos ?
O que nos faz sentir assim ?
Alguns segundos eternos, e seguimos nossos caminhos.

Não me perguntes a cor dos teus olhos, sei quanto eram profundos, a cor dos teus cabelos não me recordo, só o esvoaçar ao vento , tão pouco sei, seu nome ? luz, esperança , algo assim...

Ao receberes esta missiva, minha existência poderá não ser a mesma, ou as lembranças não existam, tantas possibilidades à acontecer, não me permiti deixar em branco essa página de minha vida, e assim, dizer-lhe és a luz que iluminou meu caminho, mesmo sem saberes.

Esta carta pode nunca chegares à tuas mãos, mas , sinto que cumpri o destino, este passa pela nossa vida e não percebemos, erro que nesta vida ou em outra , não cometerei mais.

Obrigado

Experimenta

Cerveja , carro ou remédio, é bem mais simples
As contraindicações são descritas com precisão
Já em nossa vida, é mais complexo
Exprimentar não tem retorno
Uma vez que sentiste o gosto, não esquecerás
Se é bom ou ruim assim permanecerá

Tens duas alternativas, seguir ou não
Passarás o resto da vida a lamentar ou não
Via de duas mãos

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Imagem refletida em outro ser



A nossa vida esvai-se sem nada deixar
Lembranças que acalentavam sumiram
Perdidas em desamores

Vazio de tantas idas e vindas
Atitudes esquecidas
Palavras ao vento
Sorrisos perdidos

Reafirmamos não é tristeza é algo que transcende
Perdemos a percepção de viver
Quando nossos atos não são lembrados
Ou, se os são, de uma forma distorcida
Lapsos que nos fazem seres amorfos
O tempo tona-se medíocre quando vós lembrais

Conclusão ridícula a que chegamos
Somos tão carentes que não nos permitimos aceitar fragilidades
Negamos nossa imagem refletida em outro ser

terça-feira, 14 de julho de 2009

Noite manchada



Acho que estou a escrever, por demais extenso como sempre, devo aprender a reduzir os pensamentos ao íntimo.
Por diversas vezes repeti neste blog, da minha incompetência em se fazer entender, e o que mais sinto é estar a encrespar.
Estar a criar mais arestas do que possam compreender

A distância é algo que sei lidar com facilidade, dela me alimento em nada fazer
O que será necessário que minhas acções e pensamentos reflictam o que sou
Ou o que penso ser, percebo ser ou quem sabe o que não quero ser

Ideias vagas que nada esclarecem, tem na realidade o dom de confundir
A expressão da verdade perde-se na névoa dos receios
Será que em algum momento entenderei o que me dizem
Será que nesta vã vida, serei o que nos mistérios da minha mente sou

Não são palavras direccionadas
E sim conflitos do não entendimento
Atentem ao conhecimento de um ser
Que das profundezas tem algo a dizer

Noite manchada
Grito calado
À espera do alvorecer

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Fui embora ... Nunca disse Adeus


Sabes como estou? Não interessa?
Te toca
Se limita ao que tu és
E eu que perdi meu tempo

Sabes como estou? Não interessa?
Não mudas
Pareces um relógio à repetir as horas, todo santo dia
E a criatividade a onde fica

Sabes como estou? Não interessa?
Amanhã tanta coisa tenho que fazer
Será que vou com aquela roupa
Acho que não

Sabes como estou? Não interessa?
Te contei, ontem saí
Noite mara ......
Acho que vou dormir cedo

Sabes como estou? Não interessa?
Andas tão quieto
O que está acontecendo
Parece que nem tá ai, com meus assuntos

Sabes como estou? Não interessa?
Vou dormir
Amanhã é sexta
Boa noite

Sabes como estou? Não interessa?
.....


Eu disse, fui embora
E nunca disse
Adeus
....


A foto



A foto
Entendi
Percebi

Enxerguei-me nu e cru
Como nunca
Assim será e nada mudará

O escolhido


Escolher
ou
Ser escolhido
Quando escolho não quero
Quando sou a opção, não quero

Banal
Tolice das letras
Brincadeira que nada traz
Assim é

Porque não ficar no canto e deixar que a vida ocorra
Fácil seria
Perturbar-se , qual sentido
Afinal nunca alcançamos a linha de chegada
A linha da satisfação plena

Quero ser o "escolhido"
Minha audácia é tanta que não aceito
Escolher é um ato que vem de seleccionar
Sujeitar-se
Dispor-se

Opto por algo acontecer
E assim merecer

Texto sem fim



Estive com alguém
Que fez uma pergunta simples
Em minha vida, quantos não eram sim ou sim que eram não ?
Inúmeros eu acho

Pergunta que ficou o tempo todo a retumbar
Perseguindo-me à querer resposta
Como se fácil fosse

Lembrei de algumas decisões passadas
Talvez não as mudasse
Mas , que fizeram pensar e perceber
Agindo assim protegia-me, a fim de não demonstrar quanto frágil seria

O que ficou mais claro é que o passado nos influencia
Mesmo evitando
Estará sempre presente

Não estou a falar em arrependimentos não é o caso
Acredito que o passado não pode sofrer esta emoção
O que fizemos foi decisão pessoal , intransferível
E assim deve ser

A que conclusão chegamos ?
Como se houvesse !!
Esse texto parece àquela historia sem fim .....

domingo, 12 de julho de 2009

Olhos com olhos



Não há mais espaço
Estou preenchido por todas as culpas do mundo
Já que não sossego só com as mais próximas
Espero que não seja um fardo tão pesado
E que saiba lidar com essa situação

Estou sorrindo sim
Não é felicidade, apenas um sorriso de quem no limite chegou
Tentei de tudo ultimamente, agora em retiro estou
Mudanças hão de acontecer
Inevitáveis

Seja para cima ou abaixo, tanto faz
Quem sabe o caminho
Eu não sei
Por isso estou a tatear

Ontem em plena chuva estava a olhar o mar
Aquele dia cinzento, chuva caindo
Os ruídos pareciam tão longe
O que fazer? a onde ir, seguir da mesma forma .....
Bem como aqueles filmes em preto e branco, e ainda por cima mudo
Não depressivo, mas de época
Só faltava sobretudo preto, chapéu, e aquele olhar distante
A vida dependia daquela cena, a saída decisiva
Fantasia eu sei....

sábado, 11 de julho de 2009

Dias de chuva nunca me deixaram triste


Dias de chuva nunca me deixaram triste
Gostava de ficar lendo, pensando na vida
Esse costume continuou até os dias de hoje
Pensamentos que percebo totalmente diferentes

Ficava imaginando como seria meu futuro
No que eu ia me formar, namorar ou casar
A possibilidade de tornar um piloto da força aérea
Tinha verdadeira fascinação por aviões
E um terrível medo de altura

Agora a pensar, de piloto tornei-me bancário ou construtor
Casei-me, descasei-me ou descasaram-me, depende do ponto de vista
Tive uma filha maravilhosa
E não consegui ser piloto

Hoje ainda compro revistas de aviação
Ou vou a aeroporto quando viajo, e admiro aquelas máquinas perfeitas
Comandantes com ar de competente
Nada que me frustre

Também sonho de ser cientista, todos temos essa fase
A eletrônica era a minha preferida
O máximo que consegui, foi ser programador
A lógica perdura até hoje

Há também a fase da revolta, mudar o mundo
Centenas de horas em directórios académicos, discutindo o sexo dos anjos
Era divertido, planos que era desfeitos a cada minuto
Medo de ser preso ao distribuir e carregar livros sobre Che Guevara
Eram muitos moinhos de ventos à atacar

Lá fora chove
Estou a pensar
Que sonhos perduram na vida ?

Todos talvez, pois ainda :
Quero voar de asa delta
Revolta-me certas situações na política
Tenho curiosidade de como as coisas funcionam
Ser absolutamente feliz
E o melhor, que todos à minha volta
Sejam mais felizes do que eu
São desejos e sonhos
Exclusivamente meus
Opções

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Eram os caminhos que ali estavam

Sem querer ser pedante
Viajo com Vivaldi
Jardins acabados , bosques verdejantes , borboletas à voar

Busco imagens primaveris
Como se assim pudesse lá estar
A procura assim acabar

Mãos estendi
Entenderei o porque
De aqui estar

Amanhã viverei
E pronto estarei
Hoje dormirei

Rimas já não satisfazem, nem dizem o que venho a sentir
Não há espaço ou tempo em que possa estar
Dúvidas do que fui
Eram os caminhos que ali estavam
Assim agi e se hoje os tivesse novamente nada mudaria
Somos nossas opções e decisões
Ao menos isso, admitamos

terça-feira, 7 de julho de 2009

Poema que não entendo




Somos pequenos
Sensação esquisita
A terra se abre
Engole

Será que é assim ?
Passamos por isso, porque queremos
Desejos secretos

Necessário é a escuridão do querer
Vai entender
Nem eu sei

Querer e sofrer rimam
Que pequenez
Porque?

Navegar é preciso

Tentando responder como consigo viver
Se não sofro
Se tenho ódio
Se sou feliz

Seria mais simples dizer
Que sigo
Evitando desmoronar
O que ganharia ?
Absolutamente nada, somente frustrações

Compartimentos estanques, como carga de navio
Devidamente separados, nas doses certas
Se assim não for, adernara
E vou seguindo a viagem, num eterno equilíbrio

Será que todos assim são, mesmo de formas diferentes
Navegar é preciso
Até o porto seguro que nunca é avistado

Sonhar é a força motriz
Naveguemos com o porvir
Não há sonhos impossíveis

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Ironias e Cansaço



Cansaço
É o que me faz estar aqui
Entre tantas agonias
Agora mais uma

A de não saber lidar com o ódio
Não que eu o tenha
Mas de quem tem por mim
Já me confessei culpado
Nada que eu digo vem acalentar esse coração

Pedes o impossível
Não saberia como mudar , não se muda a essência
Seja ela qual for

Não é teimosia ou bravata
Talvez incompetência em ser
Sou assim, o que posso fazer
Nossos caminhos abriram
Porque temos que fazê-los mais difíceis do que já são

Há se pudesse voltar o tempo
Dizer-lhe quem sou
Hoje não estarias a acalentar esse sentimento
Entenderias o incompreensível

Pedes que admita
Nada tenho mais a admitir
Tudo já foi admitido
Deixe fluir a vida em você
Faça esse favor a ti e não a mim
Não mereço eu sei

Vingues as tuas razões
Sendo o que sempre foi
O ser humano belo que és
E eu, deixe que o tempo cuidará
Sei o que me espera, e disso não fugirei

domingo, 5 de julho de 2009

Culpa e Pena



Acusações diárias
Quase me entrego à elas
Envolver-me nesse manto
Seria mais fácil
A culpa nos conforta

Nada teriámos a questionar
A sentença existe
Cabe cumpri-la
Assumir a dor
A culpa alimenta a auto piedade
E assim choramos, triste ficamos
Infelizes nos tornamos, essa é a pena

Não aceito tal comodidade
Sou forte ? claro que não !!!!
Talvez pura teimosia em não aceitar o decidido
Assumo todas as culpas
Viverei com elas, não as esquecerei
Meu ser irá contorcer em dores eu sei
Essa pena não cumprirei

Com um sopro de vontade ainda não decaída
Viverei sonhos ou pesadelos que o sejam
Não me entregarei ao confortável
Nunca fui e nem serei assim
Esta pena não cumprirei

Saudades do meu amigo serginho



Tenho saudade do meu amigo Sérgio
Serginho para os íntimos

O cara que entre tantas virtudes
Era belo, tinha grana, um carro audi branco
Filho de pais separados, rico lógico
Morava em um apartamento enorme de frente para o mar
Três quartos , com suite , e uma banheira de hidro massagem
E uma varanda fantástica onde o luar envolvia

Festas no apartamento todas as semanas
Jogo de strip poker
Brincadeira que se justificaria
Pois, só entrava no jogo quem queria

Estudava engenharia
Pegava por pegar
Cavalheiro safado
Sempre que podia convidava alguém para voar
No avião rolava de tudo
Era uma de suas fantasias
Entre tantas

Elevador acompanhado era um perigo à dama
Tomar sol em Ibiza totalmente nu
Nada o deixava sem jeito
Aberto a todas experiências
Vivia de suas fantasias

Um guru nas suas opiniões
As damas o escutavam
Sempre a favor do sexo feminino
Respeitando as suas vontades

A dama comprometida não o iludia
Assim ele queria que continuasse
E os pretendentes que se virassem
Pois, as aprendizes espertas ficariam
E usadas não mais seriam
E Serginho em sonhos ficaria

Não usava de golpes como "Te amo"
E sim " Te desejo"
Era desejo e fantasia
Príncipe encantado
Que no dia seguinte ligaria
E a fantasia continuaria .....

Menininha , foi com carinho que lhe dei esse poder






Antoine Saint
Exupiré em uma de suas cartas à sua amada
"Menininha , foi com carinho que lhe dei esse poder"

Tenho dificuldade de falar de mim de forma mais pessoal
Obrigo-me às vezes à me expor, lendo meus devaneios como qualquer leitor
Curioso, crítico, sarcástico ou sei lá que sentimentos mais
Não há a mínima intenção ou pretensão de ser um académico de letras
Escrevo devaneios, lembranças, histórias, e recados direcionados a este escritor, que esquece com facilidade de viver.

E seguindo a linha de raciocínio de "expor", estes últimos tempos assim fiz, derrubei paredes, tirei máscaras, sem proteção me fiz.
Acho que nunca havia despojado de minhas defesas desta forma e intensidade
Frágil me senti
Coragem necessária não havia, aventurei
Nu de desculpas, rodeios, hipocrisias segui

Armado da coragem dos tolos
A esperança nos faz agir assim
Esquecendo quem sou, quem fui ou quem serei e também a onde estou
Lá estava eu, várias vezes sem saber como falar ou me portar
Não importava o resultado, novamente estava a tentar
A mensagem se perdia no caminho

Interessante a experiência de assim ser
Despojado de vivência
Verdadeiro fui, despido de carapuças
Lágrimas de sensibilidade
Interpretado talvez frágil, fraco ou imaturo

Menininha não tens ideia de como perdido sentia
Sensação a que não estava acostumado
Sou forte, vencedor dos meus sonhos
Tenho-os na devida proporção das minhas forças
Este sim, fugiu , como sonho impossível que o era

Sorrio com felicidade por assim agir
Tolo me tornei
Lição que não aprendi na adolescencia
E agora como jóia rara
A usarei



Aprendi ^^



Sábado , quatro da manhã, acabei de chegar
A sensação de noite que se foi
Divertida quem sabe
Nem eu sei ainda

Refletir sobre a vida neste horário é temerário no mínimo
Após tantos anos casado
Estou aí, como se diz no mercado
Vivendo situações inusitadas e intrigantes
Com novas relações que hoje convivo

Inusitadas porque talvez nem na adolescência pensei em vive-las
Pessoas que iluminaram meu caminho, aqui um tributo à elas
Algumas convivendo mais outras menos, todas com sua luz
De alguma forma fizeram meu caminho interessante
Houve a "troca" entre minha experiência e a juventude

Intrigante, em virtude de que tinha um pouco de quem vim a conhecer
Não me satisfiz, tudo quis, nada tive
Precisei caminhar longos anos para perceber
Que nem sempre tudo temos
E satisfazer com menos, não necessariamente é abrir mão de algo
Sapiência que ainda não tenho

Hoje resoluto de minhas convicções
Nesta hora da madrugada
Dobro-me às evidências
Nada tinha, o pouco era o suficiente
Não soube lidar com angustias da minha adolescência tardia

Fica evidente a falta de capacidade de lidar
Aprendi ^^

sábado, 4 de julho de 2009

Será ?




Às vezes pergunto
Devo ficar triste , chateado, ou algo do género
Pois, só me esforçando para deixar a tristeza fluir

Será que sou tolo feliz ?
Será que sou infeliz tolo que nada sabe ?
Será que vivo cada dia e basta ?
Será fantasia toda minha vida ?
Será que entendo a vida e por isso não me machuco?
Será que me protejo entre tantas mascaras ?
Ou o somatório de "serás" é viver ?

Entre tantas acusações de insensibilidade
Recuso aceitar a possibilidade de não ser feliz
Perguntam-me que vida é essa ?
É a vida que me permito , não é o suficiente ?
Ou querer sempre algo mais, é uma deficiência
Escolher ou deixar que os caminhos me escolham é errado?
Vivo nos limites das possibilidades
Uns resistem outros não

Escuto observações das pessoas
O fato de não ter um objetivo específico como antigamente
Só faz a vida ficar mais emocionante
Sem ser hipócrita na retórica, compreendi que
"O futuro realmente não nos pertence"
Desde que, deixemos os acontecimentos fluírem
Sem esforços doloridos
A naturalidade no agir , essa sim, preciso ainda melhor aprender

Erros e acertos passados não ditam o futuro
Então, quero viver, aprender
E sonhar ainda meus sonhos impossíveis
Eu posso
Eu desejo
E a tristeza não está nos meus planos, nem hoje nem nunca
Covarde sou em seguir planos traçados por outrem
E corajoso em viver do meu jeito.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Matemática incerta



Repetição de factores
Não são aleatórios
As mesmas forças
Estranho fica
Entender como

O conjunto não se equilibra
Lógica não se perpetua
Mais uma tacada
Chance próxima a zero
Acostumado estou

Sigo a máxima
Faço o lance
A chance existe
Deixa os dados rolarem

Matemática na vida
Com leis imutáveis
A serem desafiadas
Falíveis somos
Humanos assim seremos

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Somos lua e sol




"Sonhar mais um sonho impossível"

Somos Lua
Quantos que nem nós já não sonharam
Sentado em algum boteco ou no quarto deitado na cama
Escutando aquela musica
A noite mais escura e fria
Introspectivo aguardando o sol nascer
E a vida renascer

Somos Sol
Sonhar com alegria
O sorriso nos escapa
Pulamos pelos ladrilhos da rua
Bom dia à todos
Tolos rimos de tudo
Não esperamos
Vivemos o impossível como se possível fosse

Somos sol ou lua
Sonhos que vivemos
Momentos de puro êxtase
À recordar a vida inteira

Meu estranho amigo da estrada





Exaltar a felicidade de viver
Esse foi meu intuito nesse longo dia
Mesmo acontecendo coisas que poderiam me desagradar
Tive a grata surpresa na estrada, quando meu carro parou por um defeito
Encontrei um senhor
Lição de vida

Sem esperar, aproximou e perguntou se havia algum problema
Com sorriso simpático, de bons amigos
E logo estava a ajudar
E conversa fluía fácil, sobre vários assuntos
Com felicidade de quem soube viver

Admiro a simplicidade, não exclusivamente no sentido material
E sim , na forma simples de viver, resolver problemas e o melhor, superar sempre
Esta foi a sensação que senti ao conhece-ló
Em poucas palavras sua vida conheci
Viúvo de alguém que tanto amou, a ponto de sua vida nada significar
Filhos criou, e os tem à sua volta
Recomeçar e amar com felicidade sem culpas
Estar na fila de transplante de coração, e que seu numero já está bem próximo
Apesar, do tempo que decorreu
E estes fatos todos contados, sempre com sorriso
Sem tristeza aparente
E sem sinal de resignação
Com evidente poder de superação

Ao saber da minha situação de separado
Ele comentou :

"Não se preocupe e nem agonie
A vida acontece de qualquer forma
És um homem cheio de vida
Inteligente
Distinto na apresentação e uma boa pessoa
Vai dar certo !"

As palavras em si nada me acrescentaram
Mas a forma que foram ditas
Espontâneas , sem um conhecimento prévio
Sem rodeios e de um carinho todo especial
Ditas a alguém que talvez nunca retornará a ver

Meu amigo da estrada , obrigado , por me ensinares
A entender certas coisas que em dúvida estava
Agora eu entendo


"Valorizar o que de bom temos a oferecer"
  e que
"Vai dar certo ! "