segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Entardeço



Entardeço
Dia lindo e quente, quase verão
Sonhos de verão acompanharam-me

O som da guitarra em solo
Entardeço
Resistir a essa sensação é quase impossível
Entardeço
Sonhos de verão desfeitos como os raios de sol no fim do dia
Entardeço

A dor do impossível, do que não é conhecido
Confesso , falta-me coragem
Entardeço

Alma dilacerada
Não caibo ou enquadro
Cores desbotadas por terminar
Pincéis jogados, tintas que não conseguem exprimir as cores da vida
Entardeço


Entardeço em meu ser
Por incompetência de ser

.

NIVER UM DIA NORMAL ?



Acredito que foi um dia normal até o momento, sem novidades, a não ser que nesta data estou mais velho, sábio ou mais teimoso.

Teimo em viver como desejo
Não importa que pareça errado ou estranho.
Algumas pessoas estão livres dessa "maluca viagem" que é , a minha vida
Continuarei ....
Eterna procura
Ainda que, não possa determinar o que quer dizer, pois, confesso "não sei"

53 anos
Etapas ultrapassadas
Renovo-me a cada dia, não mais a cada ano novo ou aniversário
Sem desculpas

E essa de que o corpo tem uma idade e a mente outra
Impossível separar tal ligação
Somos o que somos

Sinto o que ?
Normal, alguém que não desiste
Que sonha muito com tudo
Espero, não ter muitos anos de vida pela frente
Mas, que os que eu tenha
Sejam intensos
E principalmente, todos à minha volta
Sejam felizes e que descubram que a vida nunca acaba
Ela se renova a cada segundo
E o melhor !!!!
Surpresas infinitas estão reservadas
Basta viver
E aceitar o que nos está reservado, não com resignação, mas com coragem
Viva a vida

.

sábado, 29 de agosto de 2009

Encantos desfeitos



Planos
Tentar
Outra vez
Hora, dia, ou o século errado ?

Vivia a cantar na juventude
"Quem sabe faz a hora, não espera acontecer"
A emoção encantava com a musica
Hoje percebo que era o meu caminho
E assim o fiz
"Caminhando e cantando e seguindo a canção"

Caminhei mais do que cantei
Esqueci parte da letra
Só caminhei fazendo minha hora e fazendo acontecer
Do meu jeito e tamanho
Sonhos comedidos

Mente vazia
Sonhos realizados
Encantos desfeitos

Relogio humano



Reafirmo a cada momento
O que não me convenço
Sou sómente eu
Passado, presente, futuro, erros , acertos e vaidades

Já nem tento mais
Sigo apenas
Sem sinais vitais a palpitar

Não me entrego
Não me pertenço
Não consigo

Apavora-me o "simples"
Complico , não paro ou desist0
Mas não deixe assim

Relógio humano
As horas se repetem
Sem fim

domingo, 23 de agosto de 2009

O imaginário e o real andam de mãos dadas



Não sei de quem é essa frase, sei que se refere ao pintor flamengo Bruegel

Em seu mundo, o imaginário e o real andam de mãos dadas, loucos e sábios dialogam e há liberdade para todos.

Suas pinturas poderiam expressar com facilidade essa congruência, de mãos dadas com a sapiência e a loucura
A liberdade das cores entrelaça o real e o imaginário.

Posso eu sem a veia artística dos grandes pintores, poder querer o mesmo ?
O que fazer para viver o real e o imaginário como se fosse uno ?
Serei louco ou sábio, nessa libertinagem de pensamento ?

Já não sei mais o que sou ou o que fui, e se realmente fui ou sou.
Pontos de interrogação permeiam o pensamento
A lógica há muito proscrita do meu ser
Me fez ser o que sou

A mistura de dias e noites sem fim
Pensamentos que fluem com a velocidade dos meus anseios
Ser incompleto na sua prepotência
Insano em perceber nuances que vão além do olhar
Mortal a sucumbir na fantasia de delírios

Ânsia de viver a loucura e a liberdade do ser
Pleno e livre das hipocrisias que me rodeiam
E naturalmente das minhas próprias hipocrisias

.

O dia que não aconteceu



Já tive dias assim, estranhos
As horas passam "eu não"
Fiquei atrás ou à frente

Vestes pretas e brancas
A musica sem grandes variações de tom
O tic tac, não era simétrico

Tec tec, os canais mudam
Telas coloridas à passar
E eu aqui, não era eu

Pensamentos imundos
Sujos pelo tempo
Tempo que esperei
E passou

Na janela do trem
Paisagem imóvel e tremula
Não distingo
Vultos do passado tão presente

Onde estou já não é importante
Onde estarei não me satisfaz

Tic Tac o dia cheio de tempo
Se foi
Amanhã talvez aconteça

.

sábado, 22 de agosto de 2009

I can not get be, what they expect


Nunca desejei ser o que sou ou que esperam

Já não existe "tempo" para ser e nem "tempo" para deixar de ser

Conviver entre essas duas possibilidades impossíveis é o limite

Não pertenço a nada e a ninguém

O verbo reduz a eu, me pertenço

Futuro ou passado não importa ...... agora não mais !

.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Not exist is the question

Não existo
Sou algo
Indecifrável
Que passa
Fala
Age
E não interage

Ser "algo", que envolve e não é envolvido
Ser "algo", que acha que envolve

Ocupa espaço e mente

.

Dois pontos



Pontos ao longe

Seres drásticos
Afundam
Seres normais
horizonte !
Seres espaciais
inanimados !
Seres reais
procuram !
Seres sonhadores
viajam !

Contraponto da vida ?
Morte ou procura
Zero absoluto
Pedaços soltos
Inertes levitando
Sons brilham
Visões ecoam

Simplicidade confusa
Lucidez flash
Vir onde
Ir longe

Fantasia
Ponto


Razões inacabadas

.

domingo, 16 de agosto de 2009

Filosofia de botequim



Sentado aqui, como sempre
Entre tantos números e sonhos
Pouco tempo para viver
Razões que eu desconheço

Queria eu sentir remorso
Entre tantos destinos decididos
Nada sinto, sou o que fui, e serei o que sou

Provar o que, ou a quem
Não há mais necessidade
É uma sensação indescritível a liberdade do pensamento e das ações

E complementando :
O poder da vida !!!!!!
A explicação é mais ou menos assim, passamos uma vida trabalhando, amando, rindo, brigando, correndo, e com tantos afazeres, que , de repente podemos morrer, e aí?
Não sabíamos disso?
A surpresa da morte , deve ser uma frustração incrível !!
Como pode um ser humano esquecer a vida, ela não tem data , e deveríamos nos sentir melhor por isso, afinal, o dia de amanhã pode não acontecer, então, porque a lengalenga , falsos pudores, hipocrisias, isso não evita que o dia termine.

Essa sensação de poder lidar com o amanhã que pode não acontecer, nos faz viver de forma totalmente diferente, diria melhor, os medos e ansiedades esvaem-se.

Não estou a ponderar a questão religiosa ou filosófica , estou a falar do "eu", aquela percepção de que não estamos sozinhos, àquele "eu" que nos acompanha e discutimos todas as nossas decisões, e no momento que realmente percebemos a "vida", nos tornamos uno.

Pergunto ?
Seres humanos que tiveram situações próximas ao fim, qual a reação dele após tal fato?

Não há necessidade de responder, e assim foi ... assim será ....

.

sábado, 15 de agosto de 2009

Guardei as vestes brancas , tendo a lua de testemunha



Poder, sobre tudo
Faz o que quer como quer
Não dá chance
Aproveitas eu sei
Eu deixei

Não há maldade
Gostas de fazer pelo prazer da conquista
Não há limites

Mas, como sempre digo, tem um "mas"
Acordamos e ?
Nada temos !!!!!!!
O raciocínio lógico entra em ação
Nada a perder !!!!

Abandonamos o que não possuímos
A teimosia resiste sim, até um dado momento
A consequencia é o vazio, o desinteresse

Perde-se tanto nessa vida por simplesmente
Não aceitar que necessitamos de outrem
Queremos o mundo e não cedemos

Talvez não seja tão fácil como eu escrevo aqui
Há certos aspectos particulares
Que nos fazem caminhar de forma inesperada

Quanto a mim ?
Sigo o caminho, é inevitável
Vou novamente arriscar
Essa é a parte boa da aventura de viver
Nada é igual

Guardei as vestes brancas
Tendo a lua de testemunha


.

Rir de que ?




.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Rir a toa



Escrever algo alegre
:)
Fantasticamente reconfortante
:)
Que faça o passado diluir , o presente viver, e o futuro florir
:)
Como musica que nos faz bater os pés e vontade de dançar em qualquer lugar
:)
Gritar e rir alto nas ruas de madrugada
:)
Subir em postes
:)
Pintar paredes
:)
Jogar pedras no rio
:)
Esquecer o celular
:)
Andar de busão e não se importar
:)
Ver Homer Simpson o anti heroi e rir sózinho
:)
Abraçar e beijar

.

Acorde


Onde esqueci a vida
Em algum passado remoto
Que hoje não me reconheço

Onde estou ?
Já não sei se realmente conheci alguém
Sozinho sempre estive

Prepotência talvez
Não vejo assim
Quis ser "legal" do meu jeito
Não foi suficiente nem para mim nem para ninguém

Fecho meus olhos
Face esquecida

A "busca" perde sentido
Desistir está fora das opções
Não por ser forte ou algo assim
É por falta de opção, não a tenho

Sinto-me estranho
Vivo estou

Acorde desse sonho que revive o passado remoto
Desista de ser àquele que nunca fostes
Não exijas de ti o que jamais poderá ser
Ninguém se importa , nem tu

A existência é confusa e realista
Assuma opções
E o silêncio é a resposta
Ou acorde

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Na brava Oakley



Sempre ocupado, cabeça cheia
O dia é curto
Com pressa para ir à tantos lugares
Nunca há tempo

Dirijo sem pensar , somente vou
Sem raciocinar, resolvi ir pela praia, é caminho mesmo
E lá vou eu, sem prestar atenção

E de repente, vejo muitos carros estacionados
De muitos lugares
Placa informando, campeonato de surfe na Brava "Oakley"
Ainda, sim, continuei

Logo em seguida uma vaga, de frente para o mar
Não resisti, estacionei
E meus compromissos, que esperem

Neste instante percebi o dia lindo que estava
Muito quente
Ondas enormes
Mulheres e homens sob o sol, resplandeciam

Pensei, como podem ou conseguem estar aqui, em plena terça feira
Opção de vida ou condição financeira
A lógica nos diz que devem ser sustentados ou algo assim
Por isso, tanta felicidade rodeava o local

Pronto, consegui a explicação lógica para tal fervor de vida
Admirando continuei

Eis que em seguida, um velho fusca , por mim já conhecido de uma cidade próxima
Encosta, e uma galera de rapazes descem
Animados a colocar roupas de neoprene , encerar pranchas
Risos e brincadeiras

Em seguida dois meninos, no máximo uns 17 anos
Vinham a pé pela beira mar, quase correndo
Carregando pranchas, sem roupa de neoprene, chinelo havaiana
E , sorriso no rosto e papo solto
Pelo que parecia, grande expectativa

É fácil achar respostas confortáveis para justificar opção de vida
Sim, eu vi, eu senti
Sol e a areia eram testemunha
Não é questão financeira, era opção de vida
Surfistas nos mostram, que é possível trabalhar, estudar
E ter uma boa opção de vida

Reverencio àqueles que tem coragem de assim ser
Usando suas Longboard, Gun, Bodyboard, Funboard ..

Ainda troco meu carro por uma prancha

.

Monólogo cibernético



Monólogo cibernético, está em voga, a tal ponto, que o twiter e plurk da vida estão cada dia mais abarrotados de mensagens sem resposta.

O que queremos ?
Talvez a frase certa ?
E com isso ter respostas e nos sentir melhor.
Encontrando pessoas que se interessam pelo assunto e daí conseguir que o monólogo finde.

Não é uma crítica em si, apenas a constatação de prelúdios de conversas mal acabadas
Das quais eu participo
E assim será ...

MSN :
Porventura tu vistes ele entrar? Não Nem escutou nada? Não
Eu tinha certeza que ele estava falando com você? Não, acabei de chegar !

Semana passada eu saí, estava muito bom, conheci alguém e fomos até uma praia
Precisas ver, como é bela , deserta e tranquila
Hm Hm

Troquei de carro, estava cansado da cor, parece bobagem...
Este tem som, tem ar condicionado .....
:)

Acho que vou no cinema, o filme é bem interessante, depois talvez ir em algum lugar
^^

Meu dia foi terrível, muito incomodo para pouca coisa .....
:( Vou nessa bye

Twiter

Odeio : quando toca a msg do celular e quando vou atender, td empolgada, eh msg da claro

Diz : to almoçando de novo... hAUFDSOUa
Diz : única coisa q lembro de física hoje: um elétron não tenta perfurar um átomo e sim gira em volta dele =]
Diz : (a minha empregada ta no andar debaixo, falando sozinha, reclamando da vida)

Diz : Epaaa. Tratar do cabelo hj. Fazer escova inteligente, pq tem que ser muito esperto p lidar com meu cabelo.kkk
Diz : Olá sras e srs, manhã chuvosa e fria em SP. Não trouxe casa. Dia de pinguim!!!
Diz : pra finalizar: 'E a falta é a morte da esperança.'
Diz : pior que pegar ônibus errado é aguentar motorista q pensa q é engraçado />
Diz : vou tomar banho pq tenho um compromisso às 13h40


.

domingo, 9 de agosto de 2009

Entre o sofá e a cama




Acostumei a estar desconfortável
Em relação a tudo na minha vida
Profissional ou amorosa, não importa

Sempre pronto a desmontar o quebra cabeça
E recomeçar

A forma mais difícil e complicada é a mais simples
Consequencias a serem administradas
Envolvimentos que se partem
Nada importa, desconfortável e seguro estou




O ápice não fascina
Bens sejam materiais ou espirituais não me seguram
Não há receio
Aventuro a estar desconfortável

O sofá e não a cama
Resumo tragicómico de uma vida
Desconfortável estou

Necessário recomeçar
Aventura que tantas vezes iniciei
E jamais terminei
Inversão de valores dizem ...

A linha imaginária dos limites fascina
Superação a cada segundo
Não há margem de erro
Assim foi ... Assim será ....


.

Estar sózinho

Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o inicio deste milénio.
As relações afetivas também estão passando por profundas transformações e revolucionando o conceito de amor.
O que se busca hoje é uma relação compatível com os tempos modernos,na qual exista individualidade, respeito, alegria e prazer de estar junto,e não mais uma relação de dependência,em que um responsabiliza o outro pelo seu bem-estar.

A ideia de uma pessoa ser o remédio para nossa felicidade, que nasceu com o romantismo, está fadada a desaparecer neste início de século.
O amor romântico parte da premissa de que somos uma fração e precisamos encontrar nossa outra metade para nos sentirmos completos.

Muitas vezes ocorre até um processo de despersonalização que, historicamente,tem atingido mais a mulher.
Ela abandona suas características,para se amalgamar ao projeto masculino.

A teoria da ligação entre opostos também vem dessa raiz o outro tem de saber fazer o que eu não sei.
Se sou manso, ele deve ser agressivo,e assim por diante.
Uma ideia prática de sobrevivência,e pouco romântica, por sinal.

A palavra de ordem deste século é parceria.
Estamos trocando o amor de necessidade,pelo amor de desejo.
Eu gosto e desejo a companhia, mas não preciso,o que é muito diferente.

Com o avanço tecnológico, que exige mais tempo individual, as pessoas estão perdendo o pavor de ficar sozinhas, e aprendendo a conviver melhor consigo mesmas.

Elas estão começando a perceber que se sentem fração, mas são inteiras.
O outro, com o qual se estabelece um elo,também se sente uma fração.Não é príncipe ou salvador de coisa nenhuma.
É apenas um companheiro de viagem.

O homem é um animal que vai mudando o mundo,e depois tem de ir se reciclando,para se adaptar ao mundo que fabricou.
Estamos entrando na era da individualidade, o que não tem nada a ver com egoísmo.
O egoísta não tem energia própria;ele se alimenta da energia que vem do outro,seja ela financeira ou moral.

A nova forma de amor, ou mais amor,tem nova feição e significado.Visa a aproximação de dois inteiros,e não a união de duas metades.
E ela só é possível para aqueles que conseguirem trabalhar sua individualidade.
Quanto mais o indivíduo for competente para viver sozinho, mais preparado estará para uma boa relação afetiva.

A solidão é boa, ficar sozinho não é vergonhoso.Ao contrário, dá dignidade à pessoa.
As boas relações afetivas são ótimas,são muito parecidas com o ficar sozinho,ninguém exige nada de ninguém e ambos crescem.
Relações de dominação e de concessões exageradas são coisas do século passado.
Cada cérebro é único.Nosso modo de pensar e agir,não serve de referência para avaliar ninguém.

Muitas vezes, pensamos que o outro é nossa alma gêmea e, na verdade, o que fizemos foi inventá-lo ao nosso gosto.
Todas as pessoas deveriam ficar sozinhas de vez em quando para estabelecer um diálogo
interno e descobrir sua força pessoal.
Na solidão, o indivíduo entende;que a harmonia e a paz de espírito só podem ser encontradas dentro dele mesmo,e não à partir do outro.

Ao perceber isso, ele se torna menos crítico e mais compreensivo quanto às diferenças,respeitando a maneira de ser de cada um.
O amor de duas pessoas inteiras é bem mais saudável.
Nesse tipo de ligação, há o aconchego,o prazer da companhia e o respeito pelo ser amado.

Nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém,algumas vezes você tem de aprender
a perdoar a si mesmo...
Flávio Gikovate

sábado, 8 de agosto de 2009

Espantalho Scarecrow

Nostálgico
Estranho
Quieto

Viro e desviro
Do nada invento
Crio

Sem saber
Onde ir
Onde ficar
Estou lá

Vida
Curta
Longa
Não importa
Mudo e desnudo

Alado
Desmiolado
Liquidado
Amado
Odiado

Atrapalho
Regalo
Simples
Espantalho


Scarecrow

Nostalgic
Strange
Freeze

Untapped
Nothing of invention

Without knowing
Where to go
Where to stay
I'm there

Life
Short
Long
No matter
Mute and naked

Winged
Madcap
Settled
Loved
Hated

Confuse
Regalo
Simple
Scarecrow

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A IMAGEM PELA IMAGEM




Já imaginastes, sentado à beira do penhasco
Imagem árida e bela
Sentirás tão só quanto a árvore
Resistirás tanto?







.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Sabes ?


Sabes a que ponto eu chegaria
E eu sei ?

Não há ponto ou limites
Ao chão estão
Cacos da inocência perdida
No espaço se perdeu
Vontade escorrida
Riscos de luz

Sono dormente
Manhã incandescente
Não entre
Fique
Grite

Agua morna
Acomoda

.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Sonho que sonhei



Sonho de adolecente

Sonhei

Forte como nunca fora

Em segundos lembranças revivi

E não consegui retribuir, sem jeito fiquei

Deslocado

Dimensão diferente talvez

Não me aproximei

É teu momento

Retornei

Acordei

domingo, 2 de agosto de 2009

Miragens


Sol quente
Pele dormente
Suor efervescente

Miragens

Sonhos ardentes
Olhares complacentes

Comentário inesquecível

 

Alguém me pediu por favor não me mande mais esse lixo de blog pelo e-mail   blá blá blá

No primeiro momento, pensei,  …… aqueles nomes que não se diz em um blog “decente”

No segundo momento, gostei da sinceridade e coragem, acho que nem eu teria tanta audácia.

No terceiro momento , pensei , também com tantas caretas que o fez lembrar de algo.

E no quarto momento, mandei-lhe a face que reflete as linhas por ele escrita e aqui não totalmente descritas.

Obrigado Leitor anônimo

 

 

careta 9

Face to Face



Esta cara
Esta careta
Este rosto

Desconfiado
Assustado

Atrevido
Penetrante

!!! ????

Tantas caras e caretas



Buscando palavras


.

Estar só
Não dói , é vazio
Sem sal
Não há emoção
O tempo passa
Acomoda-se
Não há riscos

Estar com alguém
Aventura
Ser tolo
Partilhar e sonhar
Divergir
Rir e ser feliz
Sofrer
Medo de perder
Recomeçar
Amar

sábado, 1 de agosto de 2009

Hoje estranho estou


.

"Estranho" , fui estranho a vida toda

Interessante a memória seletiva do ser humano quando se sente magoado, as lembranças ficam confusas, difusas , a retórica é a mesma, num passe de mágica tu é o causador de todos os males, inclusive os que não ocorreram ainda.

És comparado com um telefonema, um bom dia, como se esse último fosse a revelação da felicidade, estando a esquecer milhares de telefonemas e bom dia recebidos.

O que estou a fazer hoje, não é o estilo que escolhi, mas, sempre o "mas", é inevitável.

Será necessário a estupidez de querer que outrem se "acabe" para ser feliz, que necessidade mórbida é essa.

Não assumir as opções que tomas, as consequências, e tudo que vier acontecer será sempre motivo de "culpas dele", nunca fostes tão pequena.

Negar as suas competências apenas para ter a graça de "cobrar" , que a sua vida reduziu a nada em função de algo que tu mesma exigiu.

E o mais tosco, ser feliz, demonstrar a todos e a tudo que o és, e contraditoriamente exigente com quem um dia esteve ao seu lado, não lhe dando o direito de fazer o mesmo. Como se a infelicidade de outrem lhe desse a sensação de vingança pelos males que achas ter sido afligida.

Hoje estranho estou e sou, quero dizer a ti , de coração aberto sem medos ou receios, sejas feliz , tem esta obrigação contigo, assim desejastes, assim será.

Quanto a mim, serei o mesmo ser humano que sempre fui, não ache que não me conheço, as minhas dificuldades em demonstrar carinho de uma forma usual sem ser "complicada " há de ser entendida, e não o sendo, seguirei de bem comigo mesmo.

Não há medos a transpor , estes também ficaram no passado .....


.

A Areia

.


Desesperança ao ler lindas linhas da Dra Repolha
Ao amor da minha vida

Não resisti deixar um post :

Já sentistes a areia fina quente da praia, quando tentamos fechar as mãos.
Sensação deliciosa o fluir da areia entre os dedos.
Alguns grãos sempre ficam.
Por analogia, não abra mão dos momentos, e nem apegue-se aos poucos grãos que sobraram.
Tente novamente, curta o prazer do momento, e talvez , terás uma pedra preciosa em suas mãos, que não fluirá entre os dedos, e ali permanecerá, contigo para o todo sempre.