domingo, 24 de abril de 2011

Esta vida vai te matar :)

 

Esta vida vai te matar’

É hilário

Ela nos mata mesmo !

 

E com certa condescendência, à deixamos seguir

Sem nos alertar das suas intenções

Acreditamos que somos invencíveis

 

Triste engano

Deveríamos estar atentos às suas intenções

Elas são claras como o amanhecer

Espreitando e esperando a melhor oportunidade

E nós, nada fazemos….

 

Cada segundo ou milésimo de segundo, deveria ser diferente

Nos falta atitude !

A melhor forma de vencer é não ter medo

Medo de   …..

Contentar-se em ser feliz por um segundo

Aventurar-se nos próprios medos e receios

Ser incoerente com os outros, mas jamais com você mesmo

Ter certezas momentâneas e não ficar preso à elas, como se verdades imutáveis fossem

Doar-se com intensidade à sonhos impossíveis

Compreender que a tristeza tem fim

Aprender a humildade

E finalmente conseguir perceber ao fim do dia,

‘que esta vida vai te matar’

E sorrir da graça da vida. Alegre

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Mistério

 

A bruma e sons distorcidos

Fora de foco

Passos atordoados

 

A realidade é assim em comparação à sonhos

Não há nada a entender , já vem pronto

O mistério finda em notas musicais já conhecidas

Não há espaço para o fim, só o começo

 

Acordamos de uma realidade distante

Preferimos sonhos à melodramas superficiais

Enfim, o ciclo se completa

Sem grandes explicações

Assim somos

 

Abre-se espaço

 

Sempre haverá novos mistérios a povoar a realidade

Há uma profusão de anseios dúbios

Entre o desejo de viver a realidade a partir de sonhos

terça-feira, 12 de abril de 2011

My reasons

 

My reasons to continue, were few, and they diminish with each passing second. It's complicated

Poderia ser a letra de musica, parte de poema, não sei, mas parei, ao ler, e ver como pode ser tão verdade.

sábado, 9 de abril de 2011

“Sempre é tempo de mudar”

 

“Sempre é tempo de mudar”

Talvez o seja, quem sabe por comodidade não queiramos assim fazer, e deixar os dias tomem nossas decisões, não havendo tempo para agir, e tantas outras desculpas, que não deixa, de ser verdade.

Talvez, nascemos de um jeito e assim iremos permanecer até o fim de nossos dias, nada haver com ‘arvore que nasce torta , morre torta’, mas sim, arvores que nascem , crescem, florescem, e em dado momento morrem, sem alterar a sua forma ou natureza.

Não estou a falar em ser ‘bom’ ou ‘mal’, estou a discutir a natureza do ser humano.

Lutamos contra a natureza, nos forçando a acreditar que devemos não agir de uma forma ou de outra, não nos contentamos em ser o que somos, e , na maioria das vezes a frustração é o resultado desta luta.

Digo por experiência própria , será que o desgaste que tive em minha vida, tentando ser ‘melhor’ , foi a ação correta ?

Tenho grandes dúvidas se almejar este ‘melhor’ era o que realmente importava.

Descubro com certa nostalgia de tantos e tantos dias que se foram, e não admitindo, sou a arvore que cresceu, minha forma e natureza não se alterará,  posso florescer em nuances de cores diferentes, apenas isso.

A energia despendida em ser o que a natureza não proveu, é imensa e desgastante, e nada de ‘melhor’ nos trás,  apenas frustrações , descontentamento em não poder atingir o cume das árvores maiores ou mais floridas.

Pra que?

Esta pergunta que não se cala, acho que a humildade é parte de nós ser humanos, e quando , desejamos ser melhores , isto nos afasta do que a natureza proveu,  é a manifestação nefasta do egoísmo .

Aprendo com certa relutância, que sempre tive tudo à mão, não fui capaz de enxergar que como ser perfeito, deveria ter me aproveitado melhor, em não desejar o melhor, e sim, sentir confortavelmente com os potenciais que a natureza me proveu, e assim, poder apreciar a promessa de vida que temos ao nascer.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

CONVERSE COM DEUS

 

 

Me disseram, porque não conversa com Deus, expresse seus sentimentos e angústias, peça para Ele encontrar alguém para ti, ou que te ajude a ter paz.

Faz-me refletir com recordações das minhas conversas íntimas com Deus, e pelas lembranças não foram tantas.

Pontuais no que se refere a saúde, familia, coisas assim, mas , em relação a minha vida, o caminho que ela toma, não sei, se pedi a interferência divina.

Ou estou esqueçendo aqueles momentos, que quase bate o carro !

Ainda insisto, que meus pedidos foram mais dirigidos a terceiros, Ele deve ter anotado tais pedidos, pois, sempre fui atendido.

Agora solicitar a Deus que cuide da minha vida pessoal, com tantas necessidades muito maiores e urgentes que as minhas, seria egoísmo demais, precisamos assumir o rumo de nossa vida , temos que ter a decência de errar e assumir.

Eu O tenho com respeito, e quando era jovem havia medo,  agora  mais próximo ao fim, revela-se a incógnita final.

Poderia eu ir ao templo, orar , arrepender-me de tudo , tornar-me solidário, abrir mão de coisas materiais, e com isso sentir que minha carga está aliviada, com a promessa de algo melhor, e acreditando em tal possiblidade a incógnita torna-se plausível.

Sei a delicadeza de tal assunto, não há críticas , estou apenas tentando me descobrir, como lidarei com a incógnita final.

Serei um bravo que consciente de minhas certezas , irá rumar com passos largos e seguros até o fim inevitável ?

Hoje ainda não sei, talvez não o saberei até o momento certo, sei que minhas convicções em relação a Deus, são dúbias, eu sei, sou humano.

E após tantos “sei e não sei”, fica claro que não há certezas, apenas vagas convicções desgastadas pelo tempo.

Converse com Deus