domingo, 31 de julho de 2011

Linha invisível

 

Não há chuva, noite ou frio

Que impeça de seguir a linha invisível

Destino estranho

O impensável é real e magico

 

Não duvide do que a vida ainda pode proporcionar

Você se surpreenderá certamente

 

O medo lhe acompanhará

Certamente terás dúvidas cruéis

Tentará não acordar

Certezas ficarão esquecidas , não mais acalentando seu ser

Palavras que ajudaram, perdem-se ao vento

Estarás fragilizado perante mistérios do porvir

 

A fuga não é opção, é a derradeira decadência

A perfeição de seus anseios, não lhe é dada

A garantia venceu

E com isso estás mais próximo da realidade

sábado, 23 de julho de 2011

A próxima cena

Havia uma vida,
a minha
Ao espreitar meu ser, vislumbro lampejos de possibilidades
Turbilhão de acasos e mistérios
Estão lá, em cores energizadas contrastando o azul profundo
Vibrando entre os segundos desperdiçados

Em algum momento acabou
e não acho que mereço outra
só havia aquela
Sobrevivo com doses massivas de realidade
Jogos de encantamento e sono profundo
Transformei-me em longa metragem
Com roteiro e script
Sem acasos ou mistérios
Enfadonho quadro à quadro
Flash de continuidade
Claquete
número da cena
plano
take
A próxima, a próxima, a próxima cena…

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Desconfortável

Sonhar, acordar , acreditar em tudo alterar.
Concluo , é nos sonhos que as mudanças acontecem, e percebo que são finitas, e a qualquer estalo, esta deliciosa sensação torna-se a dura realidade, ao despertar.
Fica complicado conviver este estado dubio, as vezes com sentido e por outro lado totalmente deslocado.
Devaneios aplicados à vida real, apenas confundem, em nada acrescentam, nos deixam propensos a acreditar , o que é encantador, mas, devastador nos momentos em que percebemos onde chegamos.
E o eterno recomeçar é cansativo, entediante e desconfortável.

.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Se me percebem, logo existo ….

 

Penso logo existo, será tão fácil assim, será que estou pensando pouco ?

Se minha existência depender do pensamento, seria o ser humano mais consistente da face do planeta, tão real que chega a ofender os pobres mortais que estão à minha volta.

Aprofundando nesta existência, fico confuso, não é para menos, afinal com tantos questionamentos, torno-me viés do que deveria ser, as possibilidades esvaem-se tão abruptamente como iniciaram,  e o processo de recriar é constante.

A existência passa a ser leve nevoa, que dissipa ao mais leve sopro dos meus querer, e, as pessoas não percebem tais nuances, acreditam no que veem, então percebo que logo existo pela percepção de outrem e meu pensar se perde em divagações existenciais.

Se me percebem, logo existo  ….

quarta-feira, 13 de julho de 2011

No elevador …

És feliz ?
Do nada , me questionaram no elevador
Surpreso , precisei de alguns andares a fim de responder
E com outro questionamento , retruquei “defina felicidade ?’ , e meu interlocutor também necessitou de mais alguns andares
Ser feliz amigo, estar de bem com a vida, ter seus sonhos realizados, sensação de missão cumprida
Infelizmente não tinha mais andares como desculpa, e com certa relutância respondi ‘ Neste sentido talvez ainda não seja feliz e talvez nunca serei !
Afinal sonho acordado, cada manhã sonhos se alteram, e com ‘certa’ humildade almejo o possível, apesar de alguns delírios pontuais.
Missão cumprida somente quanto tomar posse da ‘parte que me cabe neste latifúndio’, e aí venha ter esta sensação, lembrando que apenas a sensação de missão cumprida, apenas sensação…
Tendo de concluir, afinal a porta do elevador está aberta, e ouvidos atentos à escutar minhas explanações, completo..
Estou de bem com a vida, sim !
Afinal estou aqui a conversar, já me é o suficiente, estou bem hoje, amanhã não sei.
O boa noite discreto, porta fechada, assunto encerrado.
.

sábado, 9 de julho de 2011

Eterno recomeçar

 

Ei,

onde vais ?

Já sabia que era assim

Tocava meu ser e negava ao amanhecer

Não há volta, apenas lembranças

Sorrisos ao entardercer

 

Há mistérios e flores

Frutos que floresceram

Caminhando não me deixei parar

Recrio-me a passos largos

As manhãs ainda me acordam

E nada sei

É o eterno recomeçar

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Você não existe

A frase que me deixa desconfortável é :
'você não existe, só tu mesmo’

Esta inexistência, faz com que tu esteja em outra dimensão, longe de seres humanos
Inalcançável !
estranho isso !
E tu achando ser humilde, é um engano
Tal fato cria abismos instransponíveis

Recordo-me da frase, ‘ de boas intenções o inferno está cheio’

Nem tanto

 

A necessidade nos faz sentir

Até esquecer, procurar talvez

Queria que fosse mais, que me fizesse

Viver

sábado, 2 de julho de 2011

Esperar acontecer …

 

O próprio viver é morrer, porque não temos um dia a mais na nossa vida que não tenhamos, nisso, um dia a menos nela.'' ‘Fernando Pessoa’

Porque ?

Entregar-se de corpo e alma, à algo que sabemos que não é o que queremos, nos falta coragem, em assumir nossas vontades

Nossas manhãs são iguais e o café tem o mesmo sabor

O final da noite , quase sempre tem gosto amargo em nossas lembranças

Não admitimos o óbvio

Porque ? Esperar acontecer …

Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer’

Geraldo Vandré