quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Mais um dia

 

Quando se chega a qualquer idade, pensamos sempre que tudo vai ser melhor, que talvez a vida possa ser simples, e que nossos erros possam ser perdoados, enfim, até nos permitimos lagrimas que revelam a fragilidade do Homem, e infelizmente as esquecemos, pois, a próxima batalha já se aproxima.

Louvo àqueles que vivem e não fazem a vida uma eterna batalha.

domingo, 28 de agosto de 2011

Encruzilhada




Preciso escrever
Como se chegasse à encruzilhada
Direita ou esquerda
Tal decisão fosse a mais importante
Imagino a cena, parado na bifurcação
O vento de um lado parecia mais gelado  e a paisagem reconfortante
O calor do sol iluminando outro lado  e cheiro da relva macia
A dúvida é cruel !
Espanto em ter tantas sensações conhecidas
Elas chegaram como a se esgueirar na curiosidade da decisão
Irrealidade, o tempo parou
Este obscuro ser, que tomou decisões que beiram o absurdo, com a pretensão de que estaria certo, ali está, inerte , tendo como única opção, ‘de não ir’, jogar-se ao chão, e como ato final da tragédia não escrita, dizer , não vou por ali
‘Quem sois  a me dizer por onde ir ?”
.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Espelhos distorcidos


Dia cansativo, e que não poderia reclamar, foi ótimo , bons negócios, tranquilo, enfim, mais um dia
A sensação que ontem ao anoitecer já sentia, continua a mesma, explorar tal fato talvez seja mais tempo perdido.

Tenho alguns minutos, enquanto espero não sei exatamente o que.

Confuso a ideia de que a imagem não corresponde ao meu ser, somos ou parecemos ser, esta é a questão.
Já sentiste o absurdo de ouvir alguma observação relativo aos seus atos, que definitivamente não corresponde à verdade,  e não coaduna com que pensas , e nos é jogada como se assim procedesse.

Estranha irrealidade,  vives convicto de suas ações, que são transformadas entre o ato e o conhecimento de outrem, me lembra a infância em salas de espelhos, que refletiam imagens distorcidas, que eram motivo de risadas, afinal sabíamos que não éramos assim.

A surpresa fica por conta, de estarmos refletindo imagens disformes sem nosso conhecimento ou percepção, qual falha em nossos sentidos provoca esta falha, será comportamental ?

Para concluir esta desiludida explanação, acho que de alguma forma, inconscientemente desejamos refletir nosso melhor, e exatamente neste momento pecamos, pois, só olhos perspicazes ou bondosos, conseguem transpor a imagem refletida e contemplar o ser em sua totalidade.
.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

‘Cegos’, a discutir, as nuances da cor do por do sol nos jardins de Versalhes


Diálogos travados em momentos que já não recordo mais, eram tantas palavras, juntas e separadas, os motivos se perdem entre tantas vontades e competições, rodeios que não atingiam o alvo, nada é explicito, rancor e hipocrisias de mãos dadas.

Rótulo de complicado, era mais simples que abrir-se, direto ao ponto, mas, quando a disputa entremeia vaidades, o resultado esperado é a frustração de mais um dia que se foi.

Acredito na hipocrisia a fim de delinear o manto protetor, não podemos assumir nossa identidade muitas vezes cruel na verdade nela contida, é a cegueira consentida ,tatear o absurdo.

Não nos aprofundamos , negamos a oportunidade de entrar em portas entreabertas, é a comodidade do não conhecer, e melancolicamente deixamos a oportunidade esvair-se em palavras sem sentido.

‘Cegos’, a discutir, as nuances da cor do por do sol nos jardins de Versalhes, os sentidos ficam embotados, presos a convenções, medo do conhecer profundamente outrem, nos faz tremer de pavor , a superficialidade se sobrepõe à experiência única de absorver a experiência humana, sem que ela seja peso à nossa existência.

Complicado és viver a vida de subterfúgios, fugindo das emoções que a interação entre nós seres humanos nos proporciona.

Aventure-se nesta experiência humana.
.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Nerd no tempo dos dinossauros’


A vida que levei ou que ainda está porvir, está pautada em ser ‘especial’, muito pretencioso talvez !
Quando criança, ‘nerd no tempo dos dinossauros’, acreditava que estava destinado a ser alguém especial, devaneios, àquela época já os tinha, fui astronauta,pintor, piloto de caça, escritor , havia a necessidade de recriar meu pequeno mundo, não me passava pela cabeça valores financeiros , apenas a aventura era a tônica.
Momentos de reflexão ocorriam em tardes de verão, na altura do abacateiro que tínhamos em casa , madeira velha e papelão constituía o reino intocável, inacessível aos pequenos mortais. Ali escrevia o diário, a sensação era que as palavras ali depositadas seriam verdades a se concretizar, inocência da infância há muito esquecida.
Não tenho mais abacateiro e poucos momentos de reflexão, as verdades daquele diário ficaram na bruma do tempo, aventura do viver chama-se rotina, a inocência deu lugar à hipocrisia, e apesar de tudo isso, ainda me sinto especial, sentimento que esteve ali e não percebia, mas que pautou a minha vida, se tal qualidade não tenha sido reconhecida pelos que estão à minha volta, já não importa.
As palavras escritas àquela época se tornaram realidade, não fui aos céus ou me tornei escritor ou pintor, sou pequeno nesse sentido, e longe de estar frustrado, sinto-me vivo e especial, ousadia do meu ego provavelmente, o que me deixa feliz, por ainda acreditar, nas  possiblidades escritas em papel, hoje amarelada pelo tempo.

.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

És mais um louco visionário

 

Que expectativa terias se está fadado ao fracasso

Que forças terias

Que mente aceitaria o ‘desagrado’ com tranquilidade

E apesar de todas as possibilidades serem no mínimo contraditórias, aceitas o desafio inglório, e imbuído de espirito desafiador, vais seguir a sina.

Quem sois vós, que achas do ‘impossível’  a grande oportunidade de se vangloriar da luta, como se esta fosse a única saída a que se permite.

És tolo por acreditar em suas crenças, toma-lhe o tempo que resta.

Transforma a oportunidade fútil em castigo por viveres, és isso que tanto lhe atrai ?

Em que parte desta luta inglória tem os prazeres da vida ?

Tu se satisfaz pelo ato da luta, não cabendo condescendência a ti, na glória de vencer.

Esforço derramado no campo de batalha, inimigos veem com desprezo pelo absurdo que sua vontade lhes impõe.

És mais um louco visionário , em que os meios não necessariamente justificam os fins, pois, pelo que parece não lhe faz diferença.

.

sábado, 13 de agosto de 2011

Super Pai


Quero lhe contar como vivi e tudo que aconteceu comigo
Viver é melhor que sonhar
Ainda somos os mesmos , e vivemos como nossos pais
Elis Regina .. (parte da letra da musica ‘Como nossos pais’)

Inverto a homenagem aos pais 
Este dia na verdade é reflexo da existência de minha filha, e hoje escutando a musica ‘Como nossos pais’, recordo-me da festividade quando ingressou na universidade, meus olhos, não entendiam a imagem, a filhinha estava lá, entre tantos jovens, dançando e cantando tal musica, toda a expectativa estava em seu sorriso, um mundo de aventura aguardando .
Senti uma certa dor, em não poder participar desta parte de sua vida, reconheço que a sensação quando voltava era de ter sido excluído, mais uma vez, da vida de alguém.
Filha, acho que foi o momento que me senti pai que eu nunca desejei ser, sabe aquele senhor , que determina , que não escuta , senhor da razão, e, agora sem mais o ‘poder’ , um laço de amor as vezes cruel, que escraviza e frustra a vontade do jovem enquanto está sob o mesmo teto e que nunca tem ‘tempo’, e de repente, lá está você iluminada, liberta das amarras, pronta a testar suas competências e sonhos junto à humanidade , acredito que nestas horas, o medo em você não existia, só os meus !
‘Pai egoísta’, acho que todos somos, de nada adianta pedir desculpas pela falta de tempo ou relembrar o abominável tom autoritário , quando tu me questionava, ‘Porque Pai ?’ , a resposta ríspida, ‘Porque sim , eu quero que seja assim’
Filha, neste dia que me proporciona, só poderia lhe dizer, se agimos assim, é por medo, insegurança, em não errar, e demonstrar assertividade , como se fossemos infalíveis.
Te confesso querida filha, os pais, são falíveis, e a sensação é agoniante em ser ‘Super Pai’ .
Então filha, nesse dia que seria do Pai, lhe dedico de coração, por você existir, pois, por mais que eu a tenha decepcionado e a contrariado, nunca deixastes de acreditar neste ‘Super. Pai’, e recordando teu sorriso  me dás o privilégio de me sentir ‘Deus no ato da criação’, o que me cala profundamente.
De quem te ama
Super Pai

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

One Last Breath

Creed

 

Tal musica já escutei diversas vezes

Transforma minha dor em notas musicais

A letra é minhas vivencias

 

Percebo que a traduzo mentalmente, e nunca é igual

Meus momentos vibram nos acordes da guitarra

Dolorido e intenso

 

A letra é criada na sensibilidade das emoções

E percorrem minha mente , abrandando desejos impossíveis

 

Por favor, não desista , a procura não tem fim

Saiba que não estás certo e nem errado

Aprenda a fluir

Chore , grite e sorria

Não importa nada, a vida é única

Faça dela o agora

Já não tem mais nada a perder

Olhe para o céu, e sinta-se criança

Pronta a errar e aceitar

Sem volta

Esqueça o medo

Arrisque-se

Não desista .