domingo, 28 de agosto de 2011

Encruzilhada




Preciso escrever
Como se chegasse à encruzilhada
Direita ou esquerda
Tal decisão fosse a mais importante
Imagino a cena, parado na bifurcação
O vento de um lado parecia mais gelado  e a paisagem reconfortante
O calor do sol iluminando outro lado  e cheiro da relva macia
A dúvida é cruel !
Espanto em ter tantas sensações conhecidas
Elas chegaram como a se esgueirar na curiosidade da decisão
Irrealidade, o tempo parou
Este obscuro ser, que tomou decisões que beiram o absurdo, com a pretensão de que estaria certo, ali está, inerte , tendo como única opção, ‘de não ir’, jogar-se ao chão, e como ato final da tragédia não escrita, dizer , não vou por ali
‘Quem sois  a me dizer por onde ir ?”
.