segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Saudades das minhas saudades



A escolha das palavras para definir este momento, fica sem sentido
Imensidão de desejos que a cada minuto ficam à beira
Nem tento guardar na memória, se foi hoje ou ontem
Teclo ao ritmo de Moonlight Sonata de Beethoven
Notas que me apronfundam, sensações esvanecem
E na lucidez dos meus sonhos
Sinto saudades
das
Minhas saudades

.








segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A estrada não tem fim, o que importa é a caminhada

 

Nos afirmam ao nascer, que temos a estrada da vida, que apesar apesar de ser longa, tem fim.

E passamos a nos preocupar, qual a distância que ela tem.

Após longo tempo, podemos perceber que a estrada nada representa, e sim o caminhar , e muitos não conseguem parar, perceber que tudo acontece às margens, e desta forma , o que resta são pequenos fragmentos do que poderia ser esta linda viagem.

Mas enfim, poucos são merecedores deste conhecimento, há certa relutância em parar, como se com isso, nossa sobrevivência será mais afável, ao não embrenhamos nas matas, tal atitude não nos preservará de sentir as dores que a vida nos reserva e sim nos fortalecerá.

Tal caminhada não é corrida, não se ganha ao chegar ao fim, pois,  não nos avisaram, ‘a estrada não tem fim’, então, o que importa quanto tu corre, se não chegarás a lugar algum.

Me faz refletir….

sábado, 15 de outubro de 2011

Proximidade

A proximidade me eleva à patamares nunca dantes navegado, sob a nuvem ardente do desejo que se esvai noite adentro.

A realidade desperta, e de nada adianta fechar meus olhos mansamente.

Sou eu novamente a viver a realidade do meu ser

Atrás da Tela = Espiar ao avesso

 

Cibernauta ao acaso

Há muito assisto a vida ao avesso

Inicialmente houve certa dificuldade em adaptar-me à essa nova forma de convivência e conivência.

Minha humanidade reduzida a ‘conta’ nas redes sociais

Nossa existência reduzida ao status ‘disponível’ 

Conhecer é sinônimo de ‘Adicionar’

Pessoas observadas em ‘Álbuns’

História de vida, resumido a ‘Perfil’

Saudade ao observar o status ‘offline’

Sorrisos revelam figuras Alegre, tristeza também não é diferente Smiley triste

Emoções by Windows  Smiley mostrando a língua Smiley de boca aberta Smiley confuso

E cercado deste arsenal digital, pronto estamos a submergir neste mundo cibernético, acreditando que estamos a passos largos na direção do conhecimento.

E não percebemos, que abrimos mão de nossa privacidade, ocupamos nosso precioso tempo com bytes insensíveis,  e o mais lamentável, reduzimos nossa capacidade critica, por não termos a opção de ‘não curtir’ publicações, apenas ‘curtir’ ou ‘comentário’ que poderá ser deletado pelo usuário.

A liberdade do discordar foi tolhida, pela ditadura de nosso ego.

.