domingo, 25 de março de 2012

Alma gêmea

 

Em seus olhos vejo a saudade, por alguém que está além mar

Nestes momentos, sei que o Criador ao designar uma de suas almas, à ser mãe, lhe deu divindade

Impossível para nós homens de sexo, entender a profundidade desta relação

Encanta-me assistir tal aula de amor, que sempre é acompanhada de sorrisos,  discussões e afagos, diferenças que por mais que persistam, nada mais é, que o afloramento  das igualdades.

Cabe dobrar-me e reverenciar,  tal ligação que não se corta ao nascer, pois, a fusão de almas já aconteceu, o cordão umbilical é mera matéria que as unia fisicamente.

E tantos filhos à procura de ‘alma gêmea’, e nunca perceberam que as tem ao seu lado.

sexta-feira, 23 de março de 2012

O tempo não existia, era passatempo


Saudade daquele caminho
Varanda fresca
Farfalhar de folhas
Ranger da madeira
Som da chuva tocando a terra
Cheiro de terra !
O tempo não existia, era passatempo
Nostalgia do que poderia ter sido

quinta-feira, 22 de março de 2012

O imaginário


As experiências acumuladas, pouco me aliviam
O futuro, é dúbio e fugaz, amontoado de possibilidades
O presente fica despercebido, entre atos e palavras
Enfim, lembro-me da frase de ‘Albert ‘Einstein’;  “O tempo é relativo e não pode ser medido exatamente do mesmo modo e por toda parte.”
De algum lugar, escutaria a voz,  quem sóis a comparar a magnitude da Teoria da Relatividade às relações humanas
Humildemente diria, é o sentido da vida, que não pode ser medido exatamente do mesmo modo e por toda a parte, tempo e espaço se confudem no imaginário.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Frases rebeldes

Há momentos que a necessidade de estar a escrever é latente
Expor o que é  banido, esquecido ou não desejamos lembrar
As palavras brotam, frases que criam sentido após alguns minutos
Frases rebeldes, que não estão para ser entendidas, querem apenas a suavidade do sentir
Lascas de pedra bruta, talha-se vogais, consoantes, disformes , que ao chão caem
A obra não está na escultura, e sim nas sobras abandonadas , estas sim, contam a história.

F.Shook