quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Espelho




Há elogios que em sua simplicidade nos fazem estar à olhar o espelho de quem somos :


De uma amiga querida:



"O Fernando... ele é o contraditório...
É o doce e o amargo...
É a vontade de viver intensamente... e o atrapalhado...
O sisudo...
O pai de família... e ex marido exemplar....
Um lorde
Ele contrariado? Franze a testa...
Tem um olhar terno...
Um olhar infinito...
Nunca vi alguém ser tão sonhador e realista ao mesmo tempo...
Normalmente as pessoas são uma coisa só... mas o Fernando não...
Ele é os dois...
Você é alguém muito especial...
Ainda lembro-me dos teus olhos...
Sim, envergonhados
Pelo mínimo de elogio
Se olhar bem no fundo...
Envergonhados...
De um menino grande...
Queria ter te visto mais jovem e comparar se são os mesmo olhos
A mesma forma de olhar o mundo..."

Compassos dos meus passos




Amanheci ao som de Vivaldi, o sol me despertou com raios musicais, tal musica me faz passear pelos jardins do Palais de l'Élysée, muitas vezes sinto a brisa de outono, fria e melancólica. Sigo acompanhando os compassos de meus passos, e eternamente a sonhar. (F. Shook)


Possibilidades



Fujas das sensações doloridas quando evitáveis, por serem inócuas.
Entregue-se a possibilidades



Dia a dia


No meu dia a dia, consigo ter mundos paralelos e também imperfeitos, em que o impossível é apenas uma linha tênue a ser ultrapassada pelo sonhar.
 







terça-feira, 27 de novembro de 2012





Vivemos afirmando
Óbvio, que é óbvio!
Lógico, que é lógico!

E não aprendemos que a lógica do óbvio é para quem não se permite a plenitude do viver. (F.Shook)


Maturidade inconstante

 
 
Surpreende essa maturidade inconstante.
 
Será que nunca estaremos prontos!

Nossos horizontes antes definidos, transformam-se como magia.
 
Foto: Surpreende essa maturidade inconstante.
Será que nunca estaremos prontos!
Nossos horizontes antes definidos, transformam-se como magia.
O que era deixa de ser.
Simplesmente.O que era deixa de ser.
 
Simplesmente.
 

domingo, 25 de novembro de 2012

Simplicidade



Estranho!
Não importa como vivas.
Será surpreendido inevitavelmente
Pela emoção das pequenas coisas. (F.Shook)


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Eterna batalha



Quando se chega a qualquer idade, pensamos sempre que tudo vai ser melhor, que talvez a vida possa ser simples,
e que nossos erros possam ser perdoados, enfim, até nos permitimos lagrimas que revelam a fragilidade do Homem,
e infelizmente as esquecemos, pois,
a próxima batalha já se aproxima.

Louvo àqueles que vivem.
E não fazem da vida, a eterna batalha.


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Pensando

 
 
Nossos desejos perdem-se no emaranhado de interpolações das relações sociais, não encontrando a segurança do que não desejamos. (F.Shook)
Nossos desejos perdem-se no emaranhado de interpolações das relações sociais, não encontrando a segurança do que não desejamos. (F.Shook)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Destino





Ao aceitar o destino assassinamos o amanhã, o mistério esvai-se na comodidade da espera, esquecemos a urgência no viver e a frases sem sentido:

O tempo se encarrega de tudo; Não era para ser; Pare de procurar, te encontram; A gente vê; Calma, tudo ao seu tempo; Não tenho pressa. (f.Shook)

domingo, 11 de novembro de 2012

Vontades esquecidas






Pequenas atitudes nos fazem únicos, seja pela falta de continuidade, posições discordantes ou concordâncias do acaso e de certezas que diluem ao amanhecer.

Somos feito de vontades!

Não exija a retilínea certeza nos atos, não a tenho, tenho momentos de lucidez e de certezas absolutas que fluem ao sabor dos eventos.

Nem por isso sou louco, visionário ou tolo, sou ser humano adaptando-se à eterna vontade de viver.


‘Ser’ retilíneo é ser ‘previsível’ e vontades esquecidas. (F.Shook)


.

sábado, 10 de novembro de 2012

Frases




Quando não temos opção sobre o que nos aguarda, agir seria perda de tempo e esforço desnecessário, opto em entender.(F.Shook)






Já não sei ..

                 quem sou,
                                          frase tão repetida

                                                                                            reflexiva


                 quem fui,
                                                                                              desnecessária



                  quem serei,
                                                                                            hipócrita

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A leveza do existir





Foto: ‘Se penso logo existo’, nem sempre existimos em nós, as inteirações sociais nos fazem ‘existir’ em modelos e ações pré-estabelecidas, e consequentemente esvai-se a leveza do ‘existir’. (F.Shook)
‘Se penso logo existo’, nem sempre existimos em nós, as inteirações sociais nos fazem ‘existir’ em modelos e ações pré-estabelecidas, e consequentemente esvai-se a leveza do ‘existir’.