quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Bom ou mal?





Algumas vezes, estamos prontos e decididos, baseados em “nossas verdades”, não percebemos a “hipocrisia e interesses” por trás de nossas ações, e convencidos destas certezas agimos como se verdade fosse.
Somos assim,
Alguns momentos bons
E em outros,
Acreditamos que somos bons
Difícil é perceber a real intenção que nos move a estas atitudes, nosso egoísmo nos faz pequenos, mas se conseguirmos enxergar nossos erros percebidos poderemos ser melhores, este é o ponto, ser bom ou mal o tempo todo ninguém o é, esse misto de acertos e erros nos fazem humanos.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Faço minha história

Faço a história, a minha!
Não há como delegar a vida.

Nunca me senti confortável seguir trilhas exploradas, incomodava-me saber o destino.

Rebelde sem causa, sonhador por excelência ou tolo.

Não importa os rótulos, ainda estou a achar que tudo é possível, acalenta-me este sonhar, me faz entardecer no aconchego das minhas lembranças e amanhecer revigorado pelas possibilidades do impossível.
Sou assim... Feito de vontades.

.
— em Pier Penha

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Este menino que não cresce!



Este menino que não cresce!
Brinca de gente grande.
Incomoda com a petulância de sempre querer mais.
Não tem limites.
Tudo que faz são vontades não há maldade
Tímido sorri com desculpas que não convence.


  Menino!
Acredita que poderá gente grande ser e não crescer.



.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Escrever?

 
 
 
Muitos me perguntam por que escrevo.
Se não tem o ‘dom’!
 
Perguntaria, porque tantos vivem.
Se não tem o ‘dom de viver’!
 
Experimentamos é a razão.
 
O dom advém de nossa vontade de acreditar nas possibilidades que nos permitimos. (F.Shook)

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Minhas fases

No reflexo de minha face
Vejo fases!
Marcadas na carne
Fases de...
Achar que o mundo era perfeito
Que eu poderia mudar o mundo
Sonhar é realizar
O amor é eterno
Que teria tempo...
Marcas da vivência a que me permito, sulcos que delinearam o ser humano imperfeito que sou.
E orgulhoso das perfeições que marcaram minha alma. (F.Shook)
— em Marrakech.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Idealizo?


Dizem que sonho e idealizo demais!

Ainda bem que sou assim, é um processo que inicia ao se permitir sonhar, o idealizar pode ser interpretado de diversas formas, para mim, só há uma, é a vontade que o desejo seja realizado. Se me engano, o processo se reinicia. Não há decepção, pois não espero que tudo seja como sonhei. ‘A vida não para... A vida é tão rara ’ (F.Shook)