domingo, 14 de abril de 2013

Crise existencial dos 0, 10, 20, 30, 40, 50...




Crise existencial dos 0, 10, 20, 30, 40, 50...

Nasci e vivi em crise, questionando, não satisfeito com o ‘status quo’, levantei bandeiras por questões importantes e por cada babaquice que hoje provocam risos.

Minha existência continua a ser questionada, e por mais que meus dias tenham sido interessantes e gratificantes, ainda assim, a inquietude me acompanha, não estou a procura do nirvana ou do amor absoluto, me basta o desafio de me permitir viver à insana busca do que exatamente não sei.

A experiência do não saber é gratificante, ela nos faz imperfeitos e eternos desbravadores do conhecimento.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Arrisco a escrever

Arrisco escrever mal e tortamente, é porque no mínimo ainda ideias eu as tenho, quanto ao mérito ou validade de tais 'alucinações' eu não discuto.
 

Afinal não importa a névoa, sei onde estou e onde quero ir, só não sei como vou. (F.Shook)

Se me chamam de louco


Se me chamam de louco...
Nietzsche resume a não necessidade do uso da lógica nos atos humanos, não há necessariamente ‘o quadrado certo’, somos seres livres e pensantes, mutantes em opiniões e ideias.
Minhas certezas de hoje poderão ser as dúvidas do amanhã. (F.Shook)

Se minhas loucuras tivessem explicações, não seriam loucuras. Friedrich Nietzsche