domingo, 28 de setembro de 2014

Outro dia cansei do amanhã


  

Outro dia cansei do amanhã


Sensação dolorosa de desesperança, onde nada mais cabia, ficava à mercê das ondas, sem reação!


Naturalmente procuro me aconchegar e se ainda pudesse ao ventre retornaria.
E lá de olhos cerrados permaneceria na certeza da inexistência do sonhar.




Outro dia eu tinha o amanhã


No despertar o sonhar inicia
O impossível ainda o é.

Não mais que um dia, outro dia...

Em minúsculas possibilidades teceria a justificativa do viver.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Não seja tão idiota!



 


Criar!


É submeter-se às suas criações

É ir além do que deverias ir

É soltar-se da amarra do conforto

É assumir o que advém do momento pensado

É ter dias longos e noites intermináveis...

É sentir segundos palpáveis

É o impensado materializado

É encantar-se pela turbulência lasciva

É... 

Coragem de não ter o amanhã esperado!