segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Tempo que passa

 Quando a vida já está no limite, em que as coisas são estranhas, em que não há um canto definido e o que desejas é que este tempo passado seja
Quando o presente liquida com a história, fazendo com que pouca vontade seja suficiente para  que o dia não se torne tão difícil ou impossível , e sim, apenas mais um dia
Quando se ocupas o máximo que podes, a fim de que não lembres do passado e muito menos visualize o futuro, apenas corre a favor das horas, nada mais
Quando estás na eternidade das impossibilidades, que não há desejos ou sonhos, amanhãs ou porvir, apenas queres que a mansidão da rotina lhe de tempo de passar o tempo.
Então, o que posso fazer é apenas repetir a constante de todo dia, esgueirar no conhecido e  aguardar.
Esse tempo desperdiçado que jamais será reposto, é a paga pelo renascer , há tempo de espera, há tempo da consciência e há tempo de viver.
Hoje vivo a espera, que em última esperança seja finita
E sendo finita posso viver o marasmo do recriar
E que Deus , o universo ou quem sabe...
Me conceda tempo de não ter que me lamentar pelo tempo desperdiçado na ignorância de ser.

F.Shook

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Deixei de ser super-herói





Ainda de madrugada e recém acordado com a frase buzinando à mente, “deixei de ser super-herói”

Sintomas de humanidade que venho sofrendo ultimamente, afastando-me de sonhos e impondo a realidade.

Meu corpo sente dores

A vivacidade do olhar perdeu-se

A velocidade do fazer cedeu

A crença de combater o mal transformou em descrença

Minhas infinitas possibilidades, tornaram-se finitas

Deixei a história que acreditava viver pela realidade que ‘creditam’ no meu viver

Não há lançamentos só a finda espera

Não nego que esperava algum dia acordar como os demais

Estranha sensação, “ser humano”.


F.Shook

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Vulcão adormecido



Sabe esse nó na garganta de tristeza


Pela minha incompreensão em não entender a tal reciprocidade


Tristeza submissa às minhas infinitas obrigações


Explode em pequenas erupções de lágrimas contatadas a dedo


Vulcão adormecido


E em silêncio segue a cumprir o destino escolhido 

F.Shook

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Chegou 6.0



Chegou  6.0

Vivo em etapas justificando a razão de 'ser' do zero ao sessenta....

Perguntei-me:
Ao justificar o viver em 'Ser' presente, torna-me existente ?
Poderei afirmar que se sou 'ser' logo existo? 

Discordo!
O existir exige muito mais do que apenas 'ser'
A existência pressupõe o sonhar  ...
Mesmo que saibamos que o hoje pode não ter amanhã !

O 'ser' é findo em si só.  
E ao optarmos em existir justificamos caminhos trilhados e a paz em SER.

F.Shook