domingo, 10 de abril de 2016

Envelhecendo



“envelhecer só, é triste ” , “você precisa de um amor para envelhecer bem”, em resumo pergunto-me será necessária uma enfermeira para tu envelheceres em paz?

Será que nós mesmos não somos suficientes a envelhecer, ter parceira, ter bons amigos,  mas não com a finalidade de não se sentir só ou se sentir “cuidado”nas horas difíceis que há com certeza advir com a velhice.

Estou convencido que o final há de ser tão só e individual que não importa quantos à minha volta existirem.
 Estou longe de ser velho urso na caverna, o que é impossível nestes dias, somos dependentes de tudo que nos acostumamos ao viver. Não negando a evidente verdade que somos produto da sociedade, mas em contrapartida, somos seres humanos que deveriam procurar a “verdade” no viver, não só quando estamos na sala de aula discutindo filosofia de vida aos 20 ou 40 anos, mas sim, ao passar pelo 60 devemos nos reconhecer, encontrar significados para que no momento certo, com a graça de Deus ou pra os descrentes com o conhecimento adquirido, possamos sorrir pela missão cumprida e COMPREENDIDA.

Qual será minha reação ao perceber que a vida está se esvaindo, se vou continuar a reagir na procura das minhas verdades a fim de sentir-me pronto ou prostrar-me na necessidade de viver por viver, usar todas minhas potencialidades para ter mais um dia. 

Sabedor que só poderei responder isso no momento que ocorrer, mas, prefiro acreditar que estar preparado ao momento findo advém do autoconhecimento, perceber meus enganos é mais importante do que meus acertos, trazem paz de espírito.

Já vi momentos finais, em filmes, histórias, de pessoas que enfrentaram o momento findo, com a verdade que lhes dão a necessária tranquilidade de estar em paz, missão cumprida e tenho certeza que muitas sorriram com satisfação por esta certeza.

Lembrando que minhas certezas que advém do meu autoconhecimento, não podem ser tranquilizadoras para outrem, são minhas percepções da verdade e só a mim tranquilizam.

Queria poder acreditar que o funeral com mais pessoas presentes significasse que sou uma pessoa melhor,  queria também acreditar que lutar por mais um dia é demonstração de força e sabedoria,mas algo me incomoda pela percepção que a vida não é dias passados nesta terra, mas sim, nossos atos transformados em entendimento do que fomos e para onde iremos.

Entendimento de nossa vida é único, exclusivo e solitário.

E ser “bom” é estar em paz.

E na percepção do estar em paz, há de se ter certeza que serão os seres que conviveram com você, livres do egoísmo ou ódio, terão a visão de quem tu foste, mas , jamais terão a visão de quem tu serás.  

Isto só a nós cabe concluir nossa história e desejo que todos possam perceber a necessidade do autoconhecimento até nossos últimos momentos, a paz é algo sobrenatural, é a assinatura do estado de “ser humano”.