domingo, 29 de janeiro de 2017

Tão próximo à terra e tão longe do céu

Há momentos e há momentos
Poderia sentir de forma diferente?

Nunca imaginei em meus devaneios que o desapego fosse tão profundo, em que o tempo deixa de ‘ser’ e a realidade de forma abrupta retirou as incertezas e o destino é final.

Acreditava piamente que o sentido estava no caminho a percorrer, a visão periférica criava lapsos temporais em que a imaginação tornava-se real.

A realidade envolvendo-me deveria ser perfeita, mas é cruel pois limita ás possibilidades existenciais, o olhar restringe-se à visão, o paladar sacia a fome, o tato é presente.

Sinto de alguma forma aboli minhas existências, sinto-me terra, chão, passado, presente e futuro.

Desaprendi imaginar o impossível, o inesperado e o improvável


Fixei em alguma fórmula com solução à igualdade e com isso sinto-me real tão próximo à terra e tão longe do céu.

F.Shook

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Liquidação: LISTA DE ANO NOVO

É meu costume ao final de ano renovar listas de promessas que ainda não cumpri ou vontades esquecidas:

“Lista longa
Lamentos sobre o tempo que passou;
Vontades entardecidas, esquecendo quão é maravilhoso o amanhecer;
Viagens nesta ou naquela estrada, como se a estrada fosse a diferença;
Realizações pessoais que na realidade tem mais haver com os ‘outros’;
Peripécias ‘doidas’ que em nada melhoram o ser;
Teimosias a fim de justificar a falta de coragem do mudar;
E não vou ser hipócrita, sempre há nas entrelinhas o poder pelo poder, que lhe traz o isolamento, não se consegue dividir o indivisível;

Enfim, quase estou criando outra lista de lamentações, então melhor parar e precisei de 60 anos para perceber o óbvio! Que tal lista sempre deveria ter apenas um item.

“Realize o que deseja, mesmo que isso pareça egoísta”

De tão óbvio que é difícil explicar de forma mais complexa e novamente tenho que apelar à simplicidade,

Se agirmos em realizar nossos sonhos, desejos e vontades, ai sim, poderemos complementar outrem.

Fora isso, anos passarão e a lista continuará interminável.

Feliz Ano Novo!

F.Shook