terça-feira, 6 de setembro de 2016

Vulcão adormecido



Sabe esse nó na garganta de tristeza


Pela minha incompreensão em não entender a tal reciprocidade


Tristeza submissa às minhas infinitas obrigações


Explode em pequenas erupções de lágrimas contatadas a dedo


Vulcão adormecido


E em silêncio segue a cumprir o destino escolhido 

F.Shook

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Chegou 6.0



Chegou  6.0

Vivo em etapas justificando a razão de 'ser' do zero ao sessenta....

Perguntei-me:
Ao justificar o viver em 'Ser' presente, torna-me existente ?
Poderei afirmar que se sou 'ser' logo existo? 

Discordo!
O existir exige muito mais do que apenas 'ser'
A existência pressupõe o sonhar  ...
Mesmo que saibamos que o hoje pode não ter amanhã !

O 'ser' é findo em si só.  
E ao optarmos em existir justificamos caminhos trilhados e a paz em SER.

F.Shook





quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Tolos que persistem em sonhar

Desistir do que poderia ser possível
Desistir das vontades já amanhecidas
Desistir do hoje
Desistir de que a realidade era o sonhar

Verbo interessante e intenso, nos faz tranquilos pela ação que ele nos permite, 'o não agir'

Sem graça que nem os verbos ir, caminhar, seguir  e a realidade (que não é verbo)

Contraposto ao sonhar

E o impossível fica entre a indefinição de adjetivo ou substantivo
E que não não me cabe !
É reservado apenas à Deus
 ou
A tolos que persistem em sonhar




segunda-feira, 25 de julho de 2016

Ruas, sem sentido



Fui andar como sempre faço e sinto que o sonhar me abandonou
Ruas, sem sentido
Vagas, taciturnas
Pessoas, borrões sem vida
O asfalto tem tom de cinza que se mistura com luz dos postes
Será que minha visão perdeu as cores fazendo-me sentir em filme antigo
Fico em dúvida se paro ou sigo, não faria diferença
Não há destino
E retorno para o aconchego do conhecido...

F.Shook